Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Inflação acelera em janeiro puxada por alimentos e despesas pessoais

Inflação acelera em janeiro e IPCA-15 fica em 0,88%

Compartilhe

A inflação brasileira começou 2013 acelerando, puxada pelos preços de alimentos e despesas pessoais. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), prévia do indicador oficial de inflação, avançou 0,88% em janeiro, segundo divulgado pelo IBGE nesta quarta-feira (23).

Os grupos de despesas pessoais e alimentação e bebidas foram os principais responsáveis pela aceleração do IPCA-15, respondendo por 61% do índice do mês.

O resultado de janeiro mostra mais força do que o visto no mês anterior, quando o índice avançou 0,69%. No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA-15 ficou em 6,02%, afastando-se ainda mais do centro da meta de inflação do governo, de 4,5%, mas ainda dentro do teto da meta, de 6,5%.

No acumulado dos 12 meses imediatamente anteriores o índice ficou em 5,78%.

O aumento nos preços ao consumidor tem ficado acima do centro da meta há mais de dois anos. No ano passado, o IPCA fechou com alta de 5,84%, também puxado pelos preços dos alimentos e despesas pessoais.

O Banco Central (BC), que reduziu a taxa básica de juro dez vezes seguidas até outubro do ano passado para a mínima histórica de 7,25% ao ano, reconheceu no comunicado da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) que o balanço de riscos para a inflação piorou no curto prazo. Mas o governo ainda espera que a inflação convirja para o centro da meta depois da pressão de alta esperada em janeiro e fevereiro, com a ajuda da possível safra recorde de grãos como milho e soja, segundo afirmou uma fonte da equipe econômica à Reuters.

O mercado continua estimando que o BC manterá a Selic neste patamar até o final deste ano, mas os especialistas estão de olho na divulgação da ata da reunião do Copom, realizada na semana passada, quando foi decidido manter a taxa neste nível, em busca de mais detalhes sobre a avaliação do BC em relação ao comportamento dos preços


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar