O ministro das Minas e Energia, Edison Lob?o, descartou hoje que o Brasil v? revisar o valor pago ao Paraguai pela energia de Itaipu. Segundo ele, qualquer reajuste representaria uma diferen?a entre o valor pago para o pa?s vizinho e o que ? cobrado do consumidor brasileiro.

Contudo, Lob?o deixou aberta a possibilidade de haver um acordo pol?tico entre os dois pa?ses. "O presidente e o congresso nacional, que aprovaram o tratado, podem rev?-lo", afirmou o ministro.

Por?m, o governo brasileiro n?o demonstra neste momento inten??o de negociar a quest?o com o presidente rec?m-eleito do Paraguai, Fernando Lugo. "O pensamento atual ? de manter as tarifas e o tratado como est?o", disse Lob?o.

Segundo o ministro, o Brasil pode ouvir e avaliar a proposta paraguaia. Mas, isso "n?o quer dizer, que ela vai ser atendida", acrescentou.

Lob?o informou ainda que n?o h? nenhum calend?rio de revis?o tarif?ria para o pre?o da energia hidrel?trica brasileira que envolva Itaipu.

O ministro descartou que a negativa brasileira resulte em problemas diplom?ticos entre os dois pa?ses.

"O tempo da beliger?ncia se esvaiu h? muito tempo. Somos dois pa?ses amigos. Essa ? uma quest?o que est? fora de cogita??o. Seja de retalia??o tanto de l? como de c?",

Lob?o reafirmou que o Brasil est? interessado em ajudar o Paraguai com o que estiver ao seu alcance e citou, como exemplo, a constru??o de uma linha de transmiss?o que ligar? Itaipu a Assun??o.

Segundo o ministro, o projeto, que custou certa de US$ 2 milh?es, est? sendo custeado pela parte brasileira na usina e a constru??o da linha deve ser financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econ?mico e Social (BNDES).

O ministro evitou tamb?m evitou comentar a decis?o do novo presidente paraguaio e disse que n?o cabe a ele fazer "ju?zo de valor" sobre as propostas de campanha de Lugo.