Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Petrobras vai dobrar de tamanho com pré-sal, afirma Graça Foster

A executiva disse que a companhia trabalha com uma cobrança muito forte para reduzir custos

Petrobras vai dobrar de tamanho com pré-sal, afirma Graça Foster
Graça Foster | Divulgação
Compartilhe

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, disse neste sábado que a empresa vai dobrar de tamanho até 2020 com a produção do pré-sal. Em sete anos, metade do que a estatal produzir virá do pré-sal, segundo a executiva, que participou de evento sobre energia na Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo.

"Mas temos que reduzir custos e produzir", afirmou. Ela destacou que hoje o custo de produção do pré-sal é de US$ 40 a US$ 44 por barril, enquanto nos Estados Unidos, segundo ela, os preços são de US$ 44 a US$ 50.

A executiva disse que a companhia trabalha com uma cobrança muito forte para reduzir custos e afirmou que "não é barato produzir petróleo". "Uma companhia de petróleo não é para qualquer executivo chegar e dizer "vou fazer petróleo" e fazer, em dois ou três anos", afirmou Graças Foster.

Bolívia e Argentina

A presidente da Petrobras destacou a importância das boas relações com os demais países da América Latina, como Bolívia e Argentina, e enfatizou que quaisquer relações envolvendo produção energética tendem a ser duradouras, já que matrizes energéticas são rígidas e que os projetos são de longos prazos.

"As relações entre países são extremamente delicadas e precisam ser mantidas pela estabilidade econômica feita pelos lideres e pela estabilidade regulatória", afirmou. Graças Foster lembrou que 22% do PIB da Bolívia depende do gás que o país exporta ao Brasil e que o Brasil depende deste produto boliviano, por exemplo, e que há interesse do Brasil em estar muito bem com a Argentina, do ponto de vista econômico.

Pasadena

A executiva disse que a Petrobras pretende fazer uma "revitalização comercial" na refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, mas não deu detalhes sobre como seria essa mudança.

A presidente da Petrobras disse que o investimento em Pasadena, em 2005, foi feito em um momento de altos preços no refino. "Em 2008 e 2009, a margem de refino chegou a bater US$ 25 por barril. Hoje está em US$ 8, US$ 9. A diferença é muito grande". Segundo ela, isso impõe dificuldades às refinarias. "Naquele momento foi um bom negócio. Hoje, você olha para trás e diz que não. Tivemos no meio do caminho, em 2008, uma grande quebra da economia mundial."

Na África, Graças Foster enfatizou o objetivo da companhia de crescer na Nigéria, onde a empresa já atua. "Temos atuação bastante expressiva na Nigéria, e vamos crescer porque temos prospectos muito bons, como o de campo de Egina. Então nossa produção na Nigéria deverá crescer."


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar