Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Rentabilidade das empresas é a maior da década

Rentabilidade das empresas é a maior da década

Compartilhe
Google Whatsapp

As empresas brasileiras tiveram no primeiro semestre deste ano a melhor rentabilidade da d?cada. Levantamento feito pela Serasa, com base em 9,7 mil balan?os de empresas da ind?stria, servi?os e com?rcio, mostra que o indicador de rentabilidade, que mede a rela??o entre lucro e faturamento l?quido, atingiu 6,6% no per?odo. ? o mais alto da s?rie hist?rica iniciada em 2000, um ano depois que a taxa de c?mbio deixou de acompanhar o regime de bandas e passou a flutuar livremente.

S?o v?rias as raz?es para esse bom desempenho, diz M?rcio Torres, coordenador de estudos da Serasa. "A principal ? a melhora da atividade no mercado interno, favorecida pela expans?o da massa salarial, amplia??o do cr?dito e redu??o dos juros."

Para calcular a margem de ganhos, a Serasa ajustou o lucro l?quido das empresas, excluindo a equival?ncia patrimonial e os resultados extra-operacionais. "A id?ia ? mostrar apenas o lucro l?quido gerado pela atividade-fim das empresas", diz Torres.

Fizeram parte do estudo da Serasa balan?os de 3,2 mil empresas da ind?stria, 3,7 mil do com?rcio e 2,8 mil de servi?os. At? o ano passado, o melhor ?ndice havia sido o de 2005, quando a lucratividade m?dia das empresas chegara a 5,5% do faturamento l?quido.

No primeiro semestre de 2007, a m?dia de 6,6% foi puxada para cima pelo resultado das empresas do setor de servi?os, cuja lucratividade representou 9,9% das vendas brutas, descontados os impostos. ? o terceiro ano consecutivo em que os servi?os lideram em margem de lucratividade. Em 2006, esse indicador atingiu 7%.

"O setor de servi?os foi o que mais se beneficiou do fortalecimento do mercado interno", diz Torres. "Quando a ind?stria e o com?rcio v?o bem, usa-se mais energia el?trica, telefone, internet e transporte de cargas."

Foram as prestadoras de servi?os p?blicos que tiveram maior rentabilidade entre as empresas do setor no semestre. No segmento de energia, a margem atingiu 18,1%. Al?m do efeito da valoriza??o do real ante ao d?lar, que ajudou a diminuir o custo financeiro de d?vidas em moeda estrangeira, o consumo de energia aumentou e as empresas adotaram melhores pr?ticas de gest?o.

"O Brasil precisa de mais capacidade instalada de gera??o de energia el?trica e quem investe nessa ?rea consegue ganhar fatias de mercado", diz Ant?nio Martins da Costa, diretor-presidente da Energias do Brasil, controladora da Bandeirantes, Escelsa e Enersul. Ele conta que o grupo investiu R$ 3 bilh?es em gera??o de energia nos ?ltimos dois anos. "Temos de correr atr?s da demanda, porque ela tem crescido muito mais r?pido que a oferta."

At? setembro, o consumo de energia nas regi?es abastecidas pelas tr?s distribuidoras do grupo cresceu 4% ante igual per?odo do ano passado. "O consumo de energia ? um bom term?metro do crescimento", diz Costa.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar