Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Vendas no varejo cresceram 15,1% no Maranhão

Vendas no comércio varejista ficaram praticamente estáveis em abril, tendo apresentado leve alta

Compartilhe

As vendas no comércio varejista ficaram praticamente estáveis em abril, tendo apresentado leve alta de 0,2% na comparação com o mês anterior. Já em relação a abril de 2007, o volume de vendas do varejo cresceu 8,7%. A receita do comércio varejista também teve aumento de 0,6% na passagem de um mês para outro.

Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada hoje (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento aponta que no ano as vendas acumulam alta de 11%, e nos últimos 12 meses terminados em abril, de 10,3%.

Ainda de acordo com a pesquisa, em abril oito das dez atividades investigadas registraram alta no volume de vendas, na comparação com o mês de março. Os impactos positivos vieram dos setores de veículos e motos, partes e peças (2,7%); equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (2,0%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,8%); livros, jornais, revistas e papelaria (1,6%); material de construção (1,0%); móveis e eletrodomésticos (0,9%); tecidos, vestuário e calçados (0,5%) e combustíveis e lubrificantes (0,5%).

Por outro lado, registraram queda no volume de vendas os setores de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-0,1%), que é o segmento com maior influência entre os itens pesquisados no comércio, e outros artigos de uso pessoal e doméstico (-1,0%).

O levantamento aponta que em relação a abril de 2007 todas as atividades do varejo obtiveram aumento no volume de vendas. O crescimento de 27,8% no volume de vendas registrado em móveis e eletrodomésticos foi o principal destaque nesse tipo de comparação. O IBGE aponta como fatores para o resultado "a expansão do crédito, a redução dos preços dos eletroeletrônicos e a melhoria da massa de salários da população ocupada".

Em movimento oposto, o setor de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo - com variação de 0,6% no volume de vendas em abril de 2008 ainda na comparação com o mesmo mês do ano anterior - foi responsável por uma das mais baixas contribuições para a taxa global do varejo.

O levantamento aponta como provável fator para a redução do desempenho a alta dos preços dos alimentos e o chamado efeito Páscoa, já que o feriado este ano foi comemorado em março, aumentando o comércio naquele mês. Com isso, a base de comparação ficou elevada.

Ainda na comparação entre os meses de abril de 2007 e de 2008, apenas Roraima (-0,2%) apresentou resultado negativo este ano. Os estados que apresentaram as maiores altas no volume de vendas foram Rio Grande do Norte (19,5%); Maranhão (15,1%); Amapá (14,2%); Goiás (11,4%); Mato Grosso (13,5%) e Mato Grosso do Sul (13,2%).


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar