Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Em SP, morta com 4 tiros tinha medida restritiva contra o ex

Vítima de 28 anos levava o irmão ao hospital quando encontrou com a esposa do ex, que efetuou os disparos. Ela foi presa fugindo para outra cidade com a arma; ex-marido se apresentou à polícia e foi preso suspeito de envolvimento.

Compartilhe
Google Whatsapp

A mulher de 28 anos que foi assassinada com quatro tiros na frente da Santa Casa de Bariri (SP), na madrugada de domingo (17), tinha uma medida protetiva contra o ex-marido Daniel Henrique Pereira, de 41 anos, de acordo com o delegado responsável pelo caso, Marcílio César Frederici de Mello.

Daniel foi preso suspeito de envolvimento no crime e a atual esposa dele, Natália Vitória Moreira Dias, de 19 anos, foi presa em flagrante suspeita de efetuar os disparos que mataram a vítima, Taís Carla Mosconi.

De acordo com a Polícia Militar, Taís foi levar o irmão ao pronto-socorro quando acabou se encontrando com Natália e as duas começaram a discutir.

Ainda conforme a polícia, Natália pegou um revólver e atirou cinco vezes contra Taís, que estava dentro do carro tentando sair do hospital. Um dos tiros acertou o braço de Jonathan Bispo de Souza, rapaz com quem Taís tinha um relacionamento e a acompanhava no hospital no momento do ocorrido.

Além dele, o filho mais novo da vítima, um menino de 4 anos, também estava no carro, mas ele não ficou ferido. O menino também é filho de Daniel.

Taís não resistiu aos ferimentos e morreu. Jonathan segue internado no Hospital Estadual de Bauru e vai passar por cirurgia, por conta do ferimento no braço.

De acordo com Jonathan, Taís tinha terminado o relacionamento com o ex-marido havia cerca de um ano, mas ele continuava a perseguindo. Apesar disso, a motivação dos disparos ainda não está clara.

"Sei que as duas discutiram um tempo atrás. O ex-marido dela já devia estar com essa arma e na intenção de fazer alguma coisa com alguém, e ela [Taís] estava ali. Ele já perseguia ela há tempos", conta Jonathan.

A suspeita de atirar em Taís foi presa em flagrante enquanto fugia para Jaú, em um ônibus intermunicipal. O veículo foi abordado na Rodovia Deputado Leônidas Pacheco Ferreira e a mulher foi encontrada. Na bolsa dela, estava um revólver calibre 38 com a numeração raspada.

A jovem de 19 anos confessou o crime e foi levada para delegacia, onde foi presa em flagrante por homicídio e tentativa de homicídio.

Já o marido dela, ex-marido de Taís, se apresentou na delegacia ainda no domingo e a polícia entendeu que houve um provável envolvimento dele no crime. Por isso, ele também foi preso em flagrante.

"Houve indícios de que ele acompanhava a moça no momento do crime, não nos disparos, mas parece que ele acompanhou a moça em todo o trajeto que ela fez, com a arma e tudo mais", explica o delegado.

Os dois suspeitos passaram por audiência de custódia nesta segunda-feira (18) em Bariri e tiveram as prisões preventivas decretadas. Taís foi enterrada na manhã desta segunda-feira e deixa dois filhos pequenos, ambos filhos de Daniel.


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se