Estudo propõe interligação do VLT com o Rodoanel em Teresina

Wellington Dias investe na mobilidade urbana na capital piauiense.

Na manhã desta quarta-feira (28), o governador Wellington Dias se reuniu com os consultores da Fundação Cearense de Pesquisa da UFCE, André Barbosa e José Sales; o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Públicos (CTPM), Antônio Sobral; superintende da Caixa Econômica Federal (CEF), Eliziomar Guimaraes; o secretário de Estado dos Transportes, Guilhermano Pires; e o engenheiro Gil Júnior, para acordar caminhos e liberar recursos para implementação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em Teresina.

Durante a reunião foram analisadas as melhores formas de modernização, facilidade de tráfego, custo, adaptabilidade, público-alvo, entre outros. “Fizemos uma agenda nessa terça-feira (27), e  outra nesta quarta-feria, com a direção da Caixa, porque nós temos um recurso do orçamento geral da união no valor de R$ 220 milhões, esse recurso do Ministério das Cidades é gerenciado pela Caixa Econômica Federal aqui do Estado. E também tem um contrato de empréstimo com o Estado no valor de R$ 210 milhões, esse contrato já está disponível para ser usado por meio da Caixa”.

Reunião (Crédito: João Allbert))
Reunião (Crédito: João Allbert))

O estudo de traçado para a implantação da VLT está sendo realizado pela Universidade Federal do Ceará, com previsão de entrega até 30 de janeiro de 2017, nele são analisados detalhes da ampliação da Linha 1, extensão que incluem o Terminal Rodoviário de Teresina o corredor de transportes da BR 316, o Centro Administrativo do Estado do Piauí e a área central de Timon.

O governador Wellington Dias falou mais sobre o projeto, “nós iremos trabalhar a modernização do Metrô, pretendemos fazer um alargamento ali no viaduto da avenida Frei Serafim, vamos ter que trabalhar alguns pontos, conseguir também uma solução para dar maior velocidade. Estar sendo estudado com o setor privado, as condições de ampliar a rede, que hoje sai do Troca-Troca e vai até ao Renascença, para que ele possa ter uma integração com a rodoviária e o Centro Administrativo, enfim, fechando, de preferência, um circuito numa primeira linha que tenha vários pontos de demanda e integrado com o projeto de mobilidade urbana da capital”.

Dias falou sobre a interligação do setor metroviário ao rodoanel, “a novidade desse encontro é que nós agora vamospoder dar um passo a mais no rodoanel de Teresina, que deve ficar pronto em 2017. Vamos trabalhar numa integração com o rodoanel de Timon, o que ainda vamos tratar com o governo do Maranhão, porque nós vamos agora trabalhar estudos para que ele seja um rodoanel com a parte rodoviária e a parte ferroviária”.

O superintendente da Caixa, Eliziomar Guimaraes, falou sobre a liberação dos recursos para a implementação da obra, “o estudo está avançado, mas nós precisamos fazer algumas adequações em relação ao cronograma da apresentação do projeto, licitação e à questão do desembolso. Nós estamos esperando a apresentação do projeto definitivo para agilizarmos as questões dos estudos e contratação. A Universidade Federal do Ceará se comprometeu a entregar esses estudos até o fim de janeiro, o mesmo sendo apresentado já começa a parte do processo interno na Caixa para liberar o processo de licitação”. 

Fonte: Assessoria