Família rebate versão do motorista que atropelou e matou idoso

O atropelamento ocorreu domingo.

O estrago no veículo evidencia a força do impacto da colisão na vítima, o idoso Antônio Evangelista, mais conhecido como Curiquinha, 81 anos de idade. O atropelamento ocorreu domingo (23), por volta de 5h30min, perto do patamar da Igreja Matriz, quando o idoso seguia para a missa, sua tradição. Após o acidente, o motorista se evadiu no carro, um modelo Vectra. A família pede justiça.

Esta semana o motorista, Wenden Cardoso, se apresentou à Polícia Civil e contou sua versão. Segundo ele, ao passar pelo semáforo, um carro que estava em sua frente desviou do idoso, mas que ele não teve visibilidade para conseguir fazer o mesmo. O motorista segue em liberdade.

A versão do motorista é combatida pela família da vítima e pede justiça. Familiares conversaram com testemunhas e que estas disseram ter sido diferente do que contou o motorista. São três jovens que desciam a Tomaz Rebelo e disseram que motorista estava em alta velocidade e invadiu o sinal. Senhor Curiquinha acabava de sair da calçada, foi colhido pelo carro e jogado por vários metros. Mesmo com vários ossos fraturados, inclusive no crânio, ele estava consciente e disse às jovens seu endereço. Uma bengala que usava chegou a ficar estraçalhada com a violência da batida. Socorrido pelo SAMU, foi levado ao Pronto-Socorro do Hospital, porém não resistiu.

"Meu avô sempre ia cedo para missa justamente para não pegar trânsito. Ele (o motorista) fez uma crueldade! Quando bateu e ele só baixou o vidro, olhou e foi embora. Não prestou socorro, SAMU, como se fosse um animal", desabafa Cinthia Resende, neta do senhor Curiquinha.

Image title

Image title

Fonte: Com informações do Piripiri Reporter
logomarca do portal meionorte..com