Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Famílias de jovens crêem em indução do ecstasy

Famílias de jovens crêem em indução do ecstasy

Compartilhe

Choque e assombro com a revela??o do uso de drogas pelos filhos uniram as fam?lias de Lucas Francesco Amendola Maiorano, 17 anos, e Benjamin Gon?alves Rodrigues, 22 anos. O primeiro morreu ap?s o alto consumo de drogas e ?lcool na festa Tribe, em Itabora?. O segundo est? em coma induzido, corre risco de vida e, se sobreviver, deve ter seq?elas. Em comum, o excesso na rave e a surpresa dos pais.

A fam?lia de Lucas cr? que ele foi induzido por colegas. O rapaz omitiu dos pais que iria para rave e numa das liga?es para m?e, s?bado, garantiu que estava em barco no mar de Angra. Ele foi enterrado, na noite de ontem, no Memorial do Carmo, no Caju. Poucos jovens compareceram ao vel?rio.

Lucas saiu de casa, na Barra, sexta-feira ? noite, dizendo que dormiria na resid?ncia da namorada, no mesmo bairro, e que, s?bado de manh? iria para Angra com tr?s amigos, o que costumava fazer. "Depois que ficou sabendo da morte, a m?e ligou para eles, mas ningu?m atendeu ao celular. Ele foi visto ?s 10h do domingo num chuveiro na rave", contou o tio de Lucas, o comerciante Jos? Amendola, 37 anos.

Aspirante a modelo, Lucas fez fotos para trabalhar como figurante na TV. No fim do ano, tentaria vestibular para Medicina. Para entrar na rave, apresentou carteira falsa de aluno de Medicina da UFRJ, onde alterou a data de nascimento para parecer maior.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar