Fiscais da PMT tomam mercadoria de vendedora e gera revolta

A ação aconteceu no Centro da cidade.

Um vídeo que está circulando nas redes sociais está gerando revolta na população de Teresina. Isso porque na gravação é possível ver uma mulher que vendia água em um isopor colocado na sua bicicleta tendo a sua mercadoria tomada por fiscais da  Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro/Norte da Prefeitura Municipal, na praça Rio Branco, no Centro da cidade.

De acordo com as imagens, é possível ver a vendedora tentando impedir que os fiscais levem a sua mercadoria enquanto muitas pessoas que estão testemunhando o fato fazem o mesmo apelo. “Ela está trabalhando, manda só ela sair, não precisa levar as coisas dela”.

Com a resistência da mulher, dois policiais militares chegam no local e juntos conseguem confiscar os seus produtos, colocando o isopor em cima da carroceria de um veículo. O fato gera revolta na vendedora que tenta impedir a ação e é fortemente contida pelos policiais que tentaram algemá-la. A ação dos fiscais e da polícia provocou revolta na população que tentou impedir que a mulher fosse presa. “Soltem ela, não precisa disso, ela só estava trabalhando, isso é covardia”.

Tentando salvar sua mercadoria a vendedora consegue se desvencilhar da polícia e subir no veículo. O vídeo para logo em seguida. A gravação compartilhada no Facebook já chega a mais de 6.200 compartilhamentos e muitos usuários se mostraram contra a ação dos fiscais.

Em nota, a SDU Centro/Norte afirmou que a vendedora se recusou a cumprir a ordem dos fiscais.

 "A SDU Centro-Norte esclarece que, por inúmeras vezes, a equipe de fiscalização informou a vendedora ambulante da proibição de comercializar produtos sem autorização. Como o comércio de ambulantes é proibido pelo Código de Posturas do Município, os fiscais estavam apenas dando cumprimento à lei. Houve reação violenta por parte da vendedora, que se recusou a cumprir a ordem dos fiscais. A Polícia costuma acompanhar as ações desse tipo. Todos os ambulantes que trabalham com a comercialização de alimentos precisam passar por uma supervisão da Vigilância Sanitária, uma vez que o acondicionamento irregular pode se tornar um problema de saúde pública".


Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com