Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Garoto de 4 anos é morto na própria festa de aniversário no Rio

Autor do disparo estava na comemoração. Polícia investiga 3 versões. Uma delas é se a arma do suspeito, de 21 anos, teria disparado acidentalmente. Ele foi preso em flagrante.

Compartilhe

Um menino morreu após ser baleado durante sua festa de aniversário no último fim de semana, em Piabetá, na Baixada Fluminense. Enzo, de 4 anos, foi atingido com um tiro no peito durante a comemoração. O autor do disparo, que participava do evento, foi preso em flagrante.

"O meu filho estava completando 4 anos de idade, feliz da vida com a festinha do Hulk dele. Ele já estava há um mês perguntando: minha festa é amanhã? Minha festa é amanhã?", disse o pai em um áudio gravado.

LEIA MAIS: Esposa de prefeito é autuada por homicídio após menino cair do 9ºandar


O pequeno Enzo chegou a ouvir os convidados cantarem parabéns, mas, logo depois, o menino foi morto com um tiro de revólver na frente de todos, inclusive das crianças.

Segundo a polícia, o suspeito é Pedro Vinícius de Souza Pedidor, de 21 anos, que entrou na casa da família com outros convidados. A polícia investiga se a arma que estava com o suspeito teria disparado acidentalmente.

Três versões investigadas

Até o momento, o crime tem três versões de acordo com as investigações.

O autor do disparo contou na delegacia que o tiro foi acidental, que a arma caiu no chão e que a bala atingiu o menino.

A mãe de Enzo disse que ouviu uma discussão de Pedro Vinícius com as crianças e que logo depois ouviu o barulho do tiro.

Já o pai da criança contou uma história diferente. Ele disse que o suspeito abraçou o menino e depois disparou.

"Simplesmente, ele abraçou o meu filho e deu um tiro, no peito dele, assim, desse jeito, gente. Desse jeito. Depois do que aconteceu, a minha esposa botou o meu filho no carro com a irmã dele, levaram para o hospital e eu fiquei aqui. Eu fiquei aqui perguntando ao rapaz o que você fez? O que você fez com o meu filho, cara?", contou.

Pedro Vinícius de Souza Pedidor, por enquanto, responde por porte ilegal de arma e homicídio culposo - sem intenção de matar.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar