Governo do Piauí investe na reestruturação do Corpo de Bombeiros

Novos veículos de combate a incêndio têm sido incorporados.

O Corpo de Bombeiros do Piauí vem passando por um processo de reestruturação desde o ano de 2015. O Governo do Estado Piauí tem investido em aquisição de equipamentos de proteção individual; de combate a incêndios em vegetação e edifícios; veículos; além de capacitação para a tropa. E agora, no mês de setembro será lançado concurso para soldados do Corpo de Bombeiros.

No que diz respeito a equipamento de proteção individual e de aproximação para combate a incêndios foram adquiridos para os bombeiros: japonas, máscaras, uniformes e botas. Para o combate a incêndio florestal foram comprados 50 bombas costais e 19 abafadores. Segundo o major José Veloso, relações públicas do Corpo de Bombeiros, esses equipamentos permitem mais eficiência nas operações. “As bombas costais foram adquiridas recentemente, e são utilizadas de forma individual para que o bombeiro tenha acesso à área de vegetação durante um incêndio florestal. Os abafadores também são equipamentos individuais para o combate a incêndios em edificações. Todas as unidades do Corpo de Bombeiros foram equipadas com estes instrumentos”, disse Veloso.

Novos veículos de combate a incêndio têm sido incorporados aos comandos do interior e da capital. O município de Teresina foi contemplado com dois veículos, nos anos de 2015 e 2016, e os municípios de Picos, Parnaíba e Floriano também foram beneficiados com um caminhão. Além dos caminhões, também foi possível a aquisição de kits de combate a incêndio para veículos. 

Corpo de Bombeiros do Piauí (Crédito: Reprodução)
Corpo de Bombeiros do Piauí (Crédito: Reprodução)

O kit consiste em um sistema de abastecimento com capacidade para 600 litros e um conjunto com um moto bomba, que corresponde ao motor de uma moto. “Adquirimos também três kits para carros do tipo picape que são utilizados para o combate a incêndios em vegetação. Tudo isso para que a gente tenha um reforço e possa ter uma maior operacionalidade no combate a incêndios em vegetação, pontua o major.

A corporação tem desenvolvido ainda um projeto para reforma dos caminhões mais antigos do órgão. “Estamos com um projeto de reforma dos caminhões antigos, porque estão parados e precisa ser feita uma avaliação do custo benefício para sabermos se compensa ou não a reforma, pois o custo é alto e a mão de obra é especializada, já que não é um veículo comum”, comentou major Veloso.

Licitação e Capacitação

Além do que já foi adquirido temos edital publicado para aquisição de novos equipamentos, inclusive novos veículos de combate a incêndio. “O processo de compra de um equipamento no setor público não é tão simples se algo quebra temos que fazer uma avaliação e sindicância para saber o motivo e depois que começa o processo de compra com uma licitação, porque o dinheiro público precisa ser utilizado da melhor forma”, comenta Veloso.

Sobre o aparelhamento da instituição o major Veloso ressalta ainda que o Corpo de Bombeiros busca sempre o  aparelhamento necessário.  “Os Equipamentos suprem uma necessidade imediata, e é uma aquisição contínua, esse trabalho do Corpo de Bombeiros, pois os nossos equipamentos têm uma utilização intensa, tanto os veículos como os equipamentos de proteção individual, pois somos um órgão de primeira resposta, temos que estar sempre prontos”, disse.

Paralelo a isso, o comando realiza a capacitação periódica dos agentes.  “O equipamento por si só precisa ter um treinamento e realizamos capacitações periódicas para o nosso pessoal para utilizar e otimizar o nosso material”, comenta.

Concurso 

A instituição lançará, neste mês de setembro, um edital com 110 vagas destinadas para soldados do Corpo de Bombeiros.  A corporação havia lançado um edital em 2014 e foi identificada fraude, por meio de inquérito policial, o certame foi anulado. 

“Nós temos uma situação que ficou pendente que é a conclusão de um concurso que foi realizado, em 2014, que era para o ingresso de 10 oficiais combatentes, dois oficiais engenheiros e cem soldados. Entretanto, no que diz respeito à parte dos soldados houve um prejuízo por ter sido detectado uma fraude, o  concurso já estava em fase final, já estava sendo realizado curso de formação. E como foi comprovado em inquérito policial que algumas etapas foram viciadas e beneficiaram pessoas e essas etapas foram anuladas”, explica Veloso.

As etapas que não foram prejudicadas pela fraude prosseguiram e alguns profissionais já foram nomeados. "Os dez oficiais estão fazendo curso de formação em Goiás, a previsão de retorno é no mês de dezembro, e os dois oficiais engenheiros que fizeram o  concurso já concluíram as etapas do concurso e foram nomeados no quadro do Corpo de Bombeiros", esclarece.

Dessa forma, a previsão é de que o edital seja lançado neste mês de setembro, como uma forma de complementação do edital anterior. “Nesse novo edital ampliamos as vagas para soldados que antes eram 100, e agora serão 110, mas também aumentamos o rigor para evitar o ingresso de pessoas não habilitada”. Ainda, de acordo com o major Veloso serão realizadas  as seguintes etapas: prova escrita, pesquisa social para saber se o comportamento da pessoa na sociedade condiz com a entrada na corporação, teste de aptidão física e o curso de formação de soldado.

Fonte: Ascom
logomarca do portal meionorte..com