Governo economiza R$ 1mi em gastos com combustível no 1º semestre

Foi realizado um balanço durante o primeiro semestre deste ano

A Superintendência de Gestão e Controle de Qualidade do Gasto Público Essencial (SGGP), vinculada à Secretaria de Estado da Administração e Previdência (SeadPrev), que busca adotar uma cultura de boas práticas no abastecimento de veículos, divulgou um balanço do primeiro semestre em que aponta economia de R$ 1 milhão em despesas com combustível de frota pública quando se compara ao primeiro semestre do ano passado. 

Atualmente, a gestão dos gastos em combustíveis é controlada por cartões magnéticos, parametrizados desde o início do ano, com medidas rigorosas que monitoram horários de abastecimento, dias e quantidades de litros, baseadas na especificação e autonomia do veículo.

O secretário de Estado da Administração e Previdência, Franzé Silva, ressaltou a importância do controle nos gastos e despesas que evidenciam ações bem sucedidas na gestão estadual. “Estamos parametrizando isso dentro de um sistema de gestão de frotas. Tivemos uma economia em torno de um milhão, mas queremos reduzir ainda mais, tornando eficiente a nossa frota, melhor utilizando nossos roteiros na capital e em viagens ao interior. Queremos um trabalho articulado com todas as secretarias, com chefes de transportes e motoristas a fim de melhorar a eficiência dos gastos”, disse o gestor.

De acordo com a diretora de Gestão do Gasto Público, Gisela Ximenes, o sistema, a partir de 2017, passa por uma parametrização de gerenciamento que inseriu travas mais rigorosas no sistema para todos os órgãos públicos, proporcionando maior eficiência no processo de monitoramento.

“A expectativa é que consigamos unificar cada vez mais o gasto com combustível, com adoção de ferramentas que possibilitarão mais controle e eficácia, evitando pagamentos de combustíveis sem comprovação de sua destinação, não só por ser uma determinação do governador e do secretário Franzé Silva, mas por constituir um meio de fortalecer o poder público e as finanças do estado”, afirmou Gisela.

Todas as operações são mapeadas pela equipe específica que monitora os aspectos quantitativos e qualitativos do Sistema de Gerenciamento de abastecimento adotado, solicitando justificativas dos órgãos quando identificadas ocorrências de transações bloqueadas, encaminhando, em última análise, caso as justificativas não sejam acolhidas, à Controladoria Geral do Estado (CGE) para providências legais.

“É mais um trabalho dentro da qualidade do gasto. Fizemos em 2015 um programa de ajustes de despesas realizado na SeadPrev, onde tínhamos um foco em reduzir um custeio da máquina que girava em torno de R$ 100 milhões e o objetivo era chegar a R$ 70 milhões. Entregamos esse trabalho de acompanhamento para a Secretaria da Fazenda no patamar de R$ 75 milhões/mês e o nosso foco agora é melhorar a eficiência do gasto, nas diversas áreas como água, energia e combustível”, ressaltou Franzé Silva.

Franzé Silva, Secretário de Estado da Administração e Previdência (Crédito: Jarbas Santana)
Franzé Silva, Secretário de Estado da Administração e Previdência (Crédito: Jarbas Santana)


Monitoramento

A gestão de controle por meio do uso do cartão magnético controla as despesas de forma mais eficaz. O condutor do veículo é previamente cadastrado no sistema de gerenciamento, devendo dirigir-se ao posto de abastecimento onde, obrigatoriamente, informará a quilometragem que consta no hodômetro do veículo, no ato do abastecimento, digitando a senha e matrícula que são individuais para então efetivar a transação.

O cartão não pertence ao servidor, mas é vinculado ao veiculo que compõe a frota do Governo do Piauí, garantido, assim, o valor da bomba à vista e assegurando o valor de mercado que também é adotado para consumidores particulares, geralmente com preços mais acessíveis. 

Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com