HGV atende pacientes com aneurismas e realiza cirúrgias ortopédicas

Os procedimentos foram realizados nesta quarta-feira (8)

O Hospital Getúlio Vargas (HGV) realizou nesta quinta-feira (8), feriado, 26 cirurgias ortopédicas e duas embolizações de aneurismas. A maioria dos procedimentos ortopédicos foram em pacientes jovens, vítimas de acidente de trânsito. As embolizações de aneurismas foram em  pacientes  idosos que necessitavam de atendimento imediato.

Como é o caso do idoso Luiz de Araújo Lima, 63 anos, que reside na zona rural do município de Caxias(MA). A filha dele, Erlângela Araújo, conta que Sr. Luiz passou mal na zona rural, foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento –UPA de Timon, onde foi transferido para o Hospital de Urgência de Teresina-HUT. No HUT, foi detectado um aneurisma cerebral, uma dilatação que se forma na parede enfraquecida de uma artéria do cérebro. Erlângela relata que o médico do HUT explicou que Sr. Luiz precisava ser transferido para o HGV.

O neurocirurgião que está realizando o procedimento, Arquimedes Cavalcante, diz que a gestão tem investido no setor de Hemodinâmica do HGV. "Os equipamentos existentes são os mais modernos para o tratamento, pois utiliza uma técnica menos invasiva com colocação de stend, o que proporciona menor tempo de internação e permite que tudo aconteça sem a necessidade da abertura do crânio do paciente", destaca o neurocirurgião.

Equipe de Neurocirurgia do HGV
Equipe de Neurocirurgia do HGV


Ele explica que o aneurisma é uma pressão do sangue na parede da artéria que força essa região menos resistente e dá origem a uma dilatação que pode ir crescendo lenta e progressivamente. “À medida que  o aneurisma cresce, a chance de ocorrer o sangramento aumenta. A ruptura do aneurisma causa uma hemorragia intracraniana (Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico - AVC), um quadro extremamente grave que precisa de atendimento imediato, foi o que aconteceu com o Sr. Luiz Araújo”, explica o médico.  

Na área de Ortopedia, 26 pacientes foram beneficiados, um deles foi a agricultora Francisca da Cruz Sousa, 50 anos, da cidade de Valença, que estava aliviada depois de ser submetida a mais uma intervenção cirúrgica, dessa vez para a retirada do aparelho fixador externo da perna direita. Por conta de um grave acidente de moto, ela teve de passar por vários procedimentos cirúrgicos ao longo de quatro anos. Somente no HGV, foram nove cirurgias. “Fiquei muito feliz e surpresa quando o médico me ligou essa semana e disse que iria me operar hoje. Graças a Deus tudo correu bem”, disse Francisca da Cruz.

Participaram os cirurgiões ortopédicos Wilson Rodrigues (coordenador), Neomar Soares, Raul Macêdo, José Sampaio, Glauson Nascimento, Joel Campos, Francisco das Chagas, José Augusto Sá Lopes, Themístocles Neto e Danilo Milholi. As enfermeiras Maria Luiza Moraes e Cristina Sousa. Além de técnicos de enfermagem, radiologia e pessoal de apoio.

Fonte: Portal MN
logomarca do portal meionorte..com