Homem preso com Geddel no episódio dos R$ 51 milhões é solto

A decisão de hoje é do ministro Edson Fachin, do STF.

Gustavo Ferraz, ex-diretor-geral da Defesa Civil do estado de Salvador e que estava preso desde setembro no episódio da mala com R$ 51 milhões envolvendo o ex-ministro Geddel Vieira Lima, foi solto após determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). A Polícia Federal informou, na época, que o dinheiro encontrado dentro das malas era fruto de propina.

O ministro Edson Fachin determinou que Gustavo Ferraz permaneça em prisão domiciliar, não use telefone ou internet nem exerça qualquer função pública. Foi determinado também que ele ficará proibido de ter contato com outros investigados no caso e seus familiares. Por fim, deverá usar tornozeleira eletrônica e pagar fiança de R$ 93.700.

A Polícia Federal constatou digitais do ex-diretor-geral da Defesa Civil nas cédulas encontradas nas malas e que são oriundas de propina. Gustavo foi preso juntamente com Geddel após mandado do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília. 

Impressões digitais do ex-ministro Geddel também foram encontradas no dinheiro que estava em várias malas no apartamento que fica no bairro da Graça, em Salvador.  O dinheiro foi achado durante ações da Operação Tesouro Perdido, desborramento da Operação Cui Bono. 

Gustavo Ferraz  foi preso juntamente com ex-ministro Geddel Vieira Lima (Crédito: Divulgação)
Gustavo Ferraz foi preso juntamente com ex-ministro Geddel Vieira Lima (Crédito: Divulgação)
Malas achadas em apartamento onde foram achados R$ 51 milhões
Malas com R$ 51 milhões achadas em apartamento (Crédito: TV Globo)




Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com