I Caminhada da Adoção de Teresina acontece no próximo domingo

A Caminhada é aberta à sociedade em geral.

Maio é o mês da Adoção e para fortalecer este movimento os Grupos de Apoio à Adoção de todo o Brasil farão caminhadas em suas cidades no próximo domingo, dia 21 de maio. Em Teresina, a I Caminhada da Adoção vai acontecer a partir das 16 horas, na Av. Raul Lopes, no trecho entre o balão do Euro Business e a Ponte Estaiada.

O evento é uma realização do Centro de Reintegração Familiar e Incentivo à Adoção (Cria) e visa sensibilizar a sociedade para a importância de toda criança e adolescente viver em família e, ainda, divulgar e quebrar os tabus e preconceitos acerca da filiação adotiva.  

A Caminhada é aberta à sociedade em geral que, para embelezar o evento, poderá adquirir um Kit exclusivo com camiseta e botton da I Caminhada da Adoção de Teresina, pelo valor de R$ 15,00, na sede do Cria, localizada na Rua São Pedro, 1841, centro-sul.

O Cria espera que participem da Caminhada cerca de 1 mil pessoas, entre famílias formadas por adoção, pretendentes, apoiadores, profissionais e estudantes. Ao longo do percurso, serão trabalhadas questões relacionadas ao tema da adoção; depoimentos de famílias; apresentações musicais e muita animação.


Sobre o Dia Nacional da Adoção

 Comemorado em 25 de maio, O Dia Nacional da Adoção é marcado pela luta da proteção do direito de cada criança e adolescente de viver no seio de uma família que o ame e o proteja. Foi instituído em 1996, no I Encontro Nacional de Associações e Grupos de Apoio à Adoção, que aconteceu nos dias 24 e 25, em Rio Claro –SP. Seis anos mais tarde, em 2002, a lei foi sancionada sob o nº 10.447.

Os Grupos de Apoio à Adoção (GAAs) e a Associação Nacional dos Grupos de Apoio à Adoção (ANGAAD), têm ampliado o debate na sociedade sobre os estereótipos e preconceitos relacionados à filiação adotiva, inaugurando uma nova cultura da adoção, privilegiando os interesses da criança e do adolescente, estimulando as adoções necessárias e trabalhando politicamente pelos direitos não só das crianças e adolescentes, mas também dos pais e mães adotivas.

Fonte: Assessoria