Imprensa internacional repercute lista do ministro Edson Fachin

Lista repercute na imprensa internacional

A notícia de que o ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a Procuradoria Geral da República (PGR) a investigar 9 ministros, 3 governadores, 29 senadores e 42 deputados federais foi noticiada em veículos de diferentes países.

O “Clarín”, da Argentina, destacou que o caso atinge ministros do presidente Temer, “entre eles três de primeiríssima linha”: o chefe de gabinete, Eliseu Padilha; o secretário geral da Presidência, Moreira Franco; e o chanceler Aloysio Nunes. “O governo do presidente Michel Temer viu a aparente calma dos últimos dias interrompida”, começa o texto.

Nos Estados Unidos, o "Washington Post" e a emissora ABC publicaram reportagem da agência Associated Press em que o professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Claudio Couto comenta que "todo partido e todo estado tem alguém lá. Os principais líderes do Congresso, de ambas as casas, estão envolvidos. Essa é a prova de que a corrupção no Brasil é sistêmica e há um grande potencial para que isso desorganize toda a administração a partir de amanhã", afirmou.

Na Alemanha, o site da revista "Der Spiegel" destacou que há 9 ministros na lista e que os citados negam as acusações.

O jornal francês “Le Parisien” diz que um novo marco no escândalo de corrupção da Petrobras foi alcançado nesta terça com a luz verde do STF para abrir investigações com foco em ministros do "governo conservador de Michel Temer". O jornal abre a nota, inclusive, mencionando que o nome do próprio presidente é mencionado.

A versão em espanhol da rede americana CNN traz a lista de Fachin com os nomes de ministros, senadores, deputados e governadores. Na reportagem, um porta-voz do Planalto afirma que o presidente Temer não se pronunciará sobre o assunto.


Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do G1