Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

"Coletes amarelos" protestam e mantêm pressão sobre Emmanuel Macron

Paris e outras cidades tiveram as primeiras manifestações de 2019.

"Coletes amarelos" protestam e mantêm pressão sobre Emmanuel Macron
colete | Reprodução
Compartilhe
Google Whatsapp

Os "coletes amarelos" da França protestaram e provocaram confrontos em Paris e outras cidades neste sábado (5) um dia depois de o governo do presidente Emmanuel Macron endurecer a posição contra os manifestantes. Foram as primeiras manifestações em 2019.

O movimento, que quer destacar as dificuldades que a população enfrenta para sobreviver, teve início no final do ano passado e se voltava incialmente contra o aumento dos preços dos combustíveis. Depois, a pauta foi ampliada com reivindicações contra a política social e fiscal do governo.

Os conflitos deste sábado foram registrados especialmente na capital, durante os atos em desafio ao governo, que denuncia uma tentativa de "insurreição" e exige retorno à ordem. Macron condenou o que chamou de "violência estrema [que] veio atacar a República".

 (Crédito: Gonzalo Fuentes/Reuters )
(Crédito: Gonzalo Fuentes/Reuters )

O "VIII Ato" da mobilização reuniu 50 mil pessoas – contra 32 mil do sábado anterior –, anunciou o ministro do Interior, Christophe Castaner. No fim de semana anterior ao Natal, haviam sido 65 mil manifestantes.

Este "ato VIII" da mobilização é um teste para o movimento, que desafia há um mês e meio o Executivo, apesar de ter perdido fôlego nas últimas semanas com os feriados de fim de ano.

Na manifestação anterior, em 29 de dezembro, o Ministério do Interior informou que havia 12 mil manifestantes em todo o país. Em 22 de dezembro foram contabilizados 38,6 mil, e em 17 de novembro 282 mil.

 (Crédito: Reprodução)
(Crédito: Reprodução)

Desde o início do movimento, mais de 1,5 mil pessoas ficaram feridas, 53 delas gravemente, entre os manifestantes, e quase 1,1 mil entre as forças de segurança. Além disso, dez pessoas morreram, principalmente em acidentes nos bloqueios de estradas.

A passeata deste sábado em Paris partiu da avenina Champs-Elysées e se desenvolveu sem incidentes durante a manhã. Durante a tarde, porém, confrontos surgiram com o lançamento de projéteis contra os agentes da polícia, que responderam com gás lacrimogêneo, sobretudo nos cais do Sena, no centro da capital.

Em uma passarela do rio Sena, um agente ficou ferido e foi evacuado pelos bombeiros, segundo a gendarmeria.

Um incêndio também foi registrado em um barco-restaurante ancorado perto do Musée d'Orsay. Várias motos, um carro e latas de lixo foram queimadas no Boulevard Saint-Germain, um bairro nobre do popular centro turístico, onde foram erguidas barricadas improvisadas.

O cortejo de manifestantes reunia, durante a tarde, cerca de 4 mil pessoas, segundo a polícia. Outras cidades também viveram momentos de tensão nesta nova mobilização.

O ministro do Interior, Christophe Castaner, pediu no Twitter que "todos tenham responsabilidade e respeito pela lei" após esses incidentes, e disse ter reunido representantes das forças de segurança para uma videoconferência com os representantes do Ministério do Interior sobre a situação no país.

 (Crédito: Reprodução/Jornal O Globo)
(Crédito: Reprodução/Jornal O Globo)



Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto