O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta terça-feira (9) que o país concorda em incluir a Finlândia e a Suécia como membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). O Senado dos EUA aprovou, nesta quarta-feira (3), a adesão. O presidente destacou que a união dos dois países europeus tornará o grupo mais forte.

“A Finlândia e a Suécia tornarão a OTAN mais forte. Hoje, assinei os Instrumentos de Ratificação dos EUA, tornando os Estados Unidos o 23º Aliado a aprovar sua adesão à OTAN”, disse Biden.

Secretário-geral da Otan em pronunciamento ao lado de representantes de Finlândia e Suécia  (Foto: Yves Herman)Secretário-geral da Otan em pronunciamento ao lado de representantes de Finlândia e Suécia  (Foto: Yves Herman)A Finlândia e a Suécia solicitaram as suas entradas ao grupo em maio de 2022 em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia. A adesão precisa ser ratificada pelos Parlamentos de todos os 30 membros da Otan para que Finlândia e Suécia possam ser protegidas pela cláusula de defesa, que diz que um ataque contra um aliado é um ataque contra todos.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, então, convida os candidatos a aderirem ao Tratado do Atlântico Norte de acordo com seus procedimentos nacionais. Por fim, as nações depositam seus documentos de adesão no Departamento de Estado dos EUA e são convidadas a se tornarem, formalmente, membros do grupo.

EUA aprovam a entrada de Finlândia e Suécia na Otan (Foto: Adam Schultz)EUA aprovam a entrada de Finlândia e Suécia na Otan (Foto: Adam Schultz)Países que fazem parte da OTAN

Albânia, Alemanha, Bélgica, Bulgária, Canadá, Tchéquia, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Estônia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia do Norte, Montenegro, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal, Reino Unido, Romênia, Turquia.