Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Especialistas da ONU denunciam repressão de liberdades na China

Jornalistas, pessoal médico e aqueles que exerceram seu direito à liberdade de expressão na internet durante a pandemia da Covid-19 sofreram retaliação pelas autoridades e são acusados de espalhar informações falsas

Compartilhe

Cinquenta especialistas independentes da ONU denunciaram a repressão às liberdades fundamentais na China nesta sexta-feira (26) e pediram uma reunião extraordinária do Conselho de Direitos Humanos.

Essas dezenas de relatores especiais e outros especialistas em direitos humanos da ONU, enviados pelas Nações Unidas, mas não falam em seu nome, indicam em comunicado que expressaram repetidamente suas preocupações a Pequim.

O texto destaca especialmente a "repressão coletiva" de minorias étnicas e religiosas em Xinjian e Tibet, bem como o uso excessivo da força contra manifestantes em Hong Kong. Aponta, ainda, o uso de possíveis agentes químicos e assédio sexual contra manifestantes.

Ativista pró-democracia de Hong Kong | FOTO: Anthony Wallace_AFP

Especialistas também acreditam que a lei de segurança nacional de Hong Kong "viola as obrigações legais internacionais da China e impõe severas restrições aos direitos civis e políticos na região autônoma".

Eles também expressam sua preocupação com o fato de jornalistas, pessoal médico e aqueles que exerceram seu direito à liberdade de expressão na internet durante a pandemia da Covid-19, terem sofrido retaliação pelas autoridades e sido acusados de espalhar informações falsas ou de "perturbação da ordem pública".

Especialistas independentes da ONU reconhecem que o governo chinês respondeu a eles, mas quase sempre para rejeitar críticas. Além disso, de acordo com o texto, o governo chinês não emitiu um convite permanente a especialistas independentes para fazer visitas oficiais.

Para tratar da situação dos direitos humanos na China, eles propõem uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU, o estabelecimento de um relator especial ou um grupo de especialistas ou a nomeação de um enviado especial pelo secretário-geral, Antonio Guterres.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar