Idoso junta fortuna de R$ 1 milhão com reciclagem e doa tudo

Johnny Jennings quer passar adiante através de sua generosidade

Johnny Jennings, um senhor de 86 anos que vive em Ringgold, na Geórgia, Estados Unidos, arrecadou US$ 400 mil (o equivalente a R$ 1,25 milhão) e doou à caridade. Ele juntou todo esse dinheiro ao longo de 32 anos ao reciclar papéis.


O norte-americano começou a reciclar para ensinar ao seu filho, Brent, práticas saudáveis de consumo. O hábito começou em 1985, quando ele começou a coletar e a vender papel com o filho, colocando todo o dinheiro que ganhavam em uma poupança.

“A primeira memória que tenho de meu pai é de nós dois reciclando juntos. Nós fizemos isso até os meus 17 anos”, conta Brent. Depois de alguns anos, o valor guardado pela família Jennings já era suficiente para dar entrada na primeira casa própria de Brent.

Ajudando quem mais precisa

Agora que o filho cresceu e tem sua própria família, Johnny continua a reciclar, com ajuda de membros da comunidade que o enviam livros, comida, roupas e outros itens. Hoje, tudo o que o senhor ganha é enviado ao Lar de Crianças e Auxílio às Famílias Batistas da Geórgia, grupo de caridade que ele escolheu após uma experiência pessoal.

“Quando tinha 18 anos, visitei o lar de crianças e comi uma refeição com as pessoas de lá. Assim que levantei para ir embora, três meninos agarraram minhas pernas na altura dos joelhos e me pediram para ser seu pai”, lembra Johnny. “A partir daquele ponto, fiz tudo que podia. Doei alimentos, roupas... tudo que eles pudessem usar”.

Ao longo da semana, ele recolhe jornal em comércios locais e igrejas para reciclar em um centro local. Uma vez ao ano ele apresenta um cheque ao lar de crianças com o valor arrecadado naquele ano. Os cheques variam de US$ 10 mil (R$ 31 mil) a US$ 35 mil (R$ 110 mil).

“Johnny Jennings é uma das pessoas mais graciosas que já conheci. Sempre admirei seu espírito quieto e humilde, seu compromisso em ajudar os outros e, acima de tudo, seu amor pelas crianças sob nosso cuidado”, disse o presidente do Lar de Crianças e Auxílio às Famílias Batistas da Geórgia. “Somos muito abençoados por ter alguém como ele dedicado a servir nosso sacerdócio”.

“Ele é um cavalheiro único e tenho orgulho em dizer que ele é meu pai”, disse Brent sobre as contribuições de Johnny à comunidade. “Ele não é só meu pai, é pai de milhares de crianças espalhadas pelo estado da Geórgia”.

Apesar da idade avançada, Johnny não apresenta sinais de que pretende parar de reciclar e fazer doações. “Eu espero poder continuar e manter minha saúde”, disse em entrevista à CNN . O senhor afirmou que continuará a doar para o lar enquanto estiver vivo. Mais do que tempo e dinheiro, ele deseja passar adiante sua mensagem: “Se você tem o suficiente para dar, dê a quem precisa”.


Fonte: iG
logomarca do portal meionorte..com