mais

Itália impõe vacinação obrigatória a todos os trabalhadores do país

Primeiro país europeu afetado pela pandemia de coronavírus, em fevereiro de 2020, a Itália pagou um alto preço, com mais de 130.000 mortes registradas

A partir desta sexta-feira (15), o passaporte sanitário passa a ser obrigatório na Itália para todos os trabalhadores dos setores público e privado. A medida quer estimular a campanha de vacinação.

Primeiro país europeu afetado pela pandemia de coronavírus, em fevereiro de 2020, a Itália pagou um alto preço, com mais de 130.000 mortes registradas. Depois do ano trágico, a campanha de vacinação começou em dezembro e, agora, mais de 80% das pessoas com mais de 12 anos estão totalmente vacinadas, ou 85%, se consideradas aquelas com a primeira dose.

Passaporte sanitário na Itália (Foto: reprodução)Passaporte sanitário na Itália (Foto: reprodução)

A vacina é obrigatória para o pessoal de saúde e o chamado "passaporte covid" é exigido dos professores. Para o governo liderado por Mario Draghi, porém, estas medidas não são suficientes para garantir um nível de imunidade alto e evitar novos surtos que podem afetar a atividade econômica. Foi o que aconteceu em 2020 e no início de 2021.

De modo a incentivar a vacinação, o governo anunciou há um mês, com o apoio dos partidos da coalizão, a obrigação de apresentar o "passaporte covid", a partir de 15 de outubro, para se ter acesso ao local de trabalho. 

Os empregados que se recusarem a cumprir a medida correm o risco de terem o salário suspenso e de serem multados, se entrarem no local de trabalho sem o documento. Também não podem optar por trabalhar de casa. Os empregadores que evitarem o controle de seus funcionários também estão sujeitos a multas.

Itália reforça exigências para impulsionar vacinaçao no país (Foto: reprodução)Itália reforça exigências para impulsionar vacinaçao no país (Foto: reprodução)

Introduzido em agosto para se ter acesso a trens, museus e restaurantes, entre outros, o passaporte de saúde inclui um certificado de vacinação, um comprovante de recuperação pós-covid-19, ou um teste negativo feito nas últimas 48 horas.

- Entre a greve e o teste -

A medida gerou protestos violentos no sábado, em Roma, onde milhares de pessoas, incluindo ativistas de extrema direita, devastaram a sede do maior sindicato do país, o CGIL, e invadiram a emergência de um hospital da capital.

Alguns trabalhadores ameaçaram entrar em greve e até com o bloqueio de portos, se a medida não for revogada. Segundo estimativa do Ministério da Função Pública, em torno de 250 mil pessoas, dos cerca de 3,2 milhões de funcionários públicos, não estão vacinadas, o que equivale a 7,8%.

No setor privado, este número chega a 2,2 milhões de pessoas em 14,6 milhões, ou 15%. Isso pode representar um desafio, a partir de 15 de outubro, para a recuperação econômica do país após o duro ano de 2020, quando o Produto Interno Bruto (PIB) da península despencou 8,9%.

Luca Zaia, presidente da rica região de Vêneto, ao norte, advertiu sobre o "caos" que a implementação da medida pode causar nas empresas italianas a partir desta data.

"Não podemos garantir a todos que não se vacinaram que façam um teste a cada 48 horas. Os empregadores com os quais eu falo estão muito preocupados", frisou.

A maior organização da indústria, a Confindustria, apoia firmemente a decisão do governo e rejeita a "chantagem" de alguns setores dos trabalhadores.

Para o vice-presidente da Confindustria, Maurizio Stirpe, "não tem motivo para pagar o teste de quem não quer ser vacinado. As pessoas devem assumir suas decisões". O Forza Italia, o partido de centro-direita de Silvio Berlusconi, e o Partido Democrático, de centro-esquerda, são a favor da obrigatoriedade da vacina.

A medida vem sendo rejeitada pelo governo por enquanto, sobretudo, devido à oposição da Liga, de Matteo Salvini, partido de extrema direita. Membro da coalizão nacional, ele ameaça romper com seus aliados.

Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail