Jovem mata amigo "por amor" e dá cabeça de presente à namorada

Russo decapita amigo que abusou de sua namorada

Um adolescente russo matou e depois decapitou um amigo que teria abusado sexualmente de sua namorada. Nikita Rasskazov, de 16 anos, matou Artyom Shustov, de 19 anos, e levou a cabeça da vítima em um saco de lixo para Olena Matsneva , de 17 anos, como “prova” de seu amor.


Conhecido por ser uma pessoa calma, o russo confessou ser culpado pelo crime. Ele esfaqueou Shustov com uma faca de cozinha antes de decapitá-lo "por amor " em um parque em Komsomolsk-on-Amur, no leste do país. O jovem diz se arrepender de seus atos.

Durante investigação realizada por órgão equivalente ao FBI na Rússia, que durou 14 semanas, oficiais descobriram que Olena havia contado a seu namorado sobre um assédio sexual que sofreu em uma festa. Segundo ela, depois que se recusou a transar com Shustov, ele e um amigo apalparam os seios e a genitália de Olena enquanto um terceiro garoto a segurava. Por mais que tenha se sentido humilhada pela situação, a jovem não denunciou o ataque à polícia.

Rasskazov afirma que não tinha a intenção de matar o amigo, mas queria que Shustov pedisse desculpa à sua namorada pelo assédio. Entretanto, a conversa teria se transformado em uma discussão, acabando em briga e, finalmente, com o mais novo esfaqueando o mais velho até a morte.

“Cego de raiva”, Nikita decapitou a vítima, pegou a cabeça pelos cabelos e a guardou em um saco de lixo, dentro de sua mochila, onde também deixou as roupas ensanguentadas. Ele escondeu o resto do corpo atrás de arbustos. 

No dia seguinte, levou a cabeça para sua namorada como prova de seu amor por ela, mas a garota se sentiu perturbada pelo crime. Em seguida, ele jogou a cabeça em um rio local. Por ser menor de idade, o russo pode enfrentar no máximo dez anos na prisão.

Em entrevista ao “Daily Mail”, a mãe de Olena falou sobre o amor da garota por Rasskazov. “Minha filha literalmente desabrochou quando começou a namorar com ele”, disse. “Ele visitava nossa casa com frequência e era um rapaz muito calmo e quieto”.



Fonte: iG