Padrasto tortura enteado até a morte por achar o menino afeminado

A mãe enfrentará a Corte em outro momento

Um homem foi a júri acusado de torturar e matar uma criança por achar que ele era gay. Segundo informações da polícia, Isauro Aguirre namorava com a mãe do garoto que também teve participação no crime.

No dia do crime Isauro jogou spray de pimenta, forçou o menino de 8 anos comer as próprias fezes, e apagou vários cigarros na pele dele, espancou e atirou com uma arma para matá-lo. A defesa do suspeito, John Allan, afirma que ele “é culpado, mas não houve tortura”. 

De acordo com os paramédicos que atenderam o garoto, foram encontrados vários hematomas e ferimentos que comprovam as torturas.

O crime ocorreu em 2013. A expectativa é que o julgamento dure, pelo menos, oito semanas. A mãe enfrentará a Corte em outro momento.

Padrasto tortura enteado até a morte por achar o menino afeminado
Padrasto tortura enteado até a morte por achar o menino afeminado
Padrasto tortura enteado até a morte por achar o menino afeminado
Padrasto tortura enteado até a morte por achar o menino afeminado


Fonte: Com informações do Metropoles
logomarca do portal meionorte..com