Protestos após afastamento de presidente da Coreia deixam mortos

Cassação de Park Geun-hye foi aprovada pela Corte Constitucional

Pelo menos duas pessoas morreram nesta sexta-feira (10), durante manifestações em Seul, em protestos contra o impeachment da agora ex-presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye.


Park já estava afastada do cargo, por decisão do Parlamento, desde dezembro do ano passado. Nesta sexta, seu impeachment foi aprovado pela Corte Constitucional da Coreia do Sul. Ela é suspeita de estar envolvida em um escândalo de corrupção.

Após a leitura do veredicto, violentos confrontos entre a polícia e os partidários de Park tiveram início na frente da sede do tribunal e nas proximidades da Avenida Sejong.

De acordo com a agência de notícias sul-coreana Yonhap , um dos mortos é um idoso, de 72 anos, que morreu a caminho ao hospital por causa dos ferimentos que sofreu na cabeça. A outra vítima fatal também era um idoso, de 60 anos, e teve o corpo encontrado próximo ao tribunal.

Houve também quem saísse de casa para comemorar nas ruas a cassação da ex-presidente.

Mais de 21,6 mil agentes isolam o Corte, a Casa Azul, a sede da presidência e outros edifícios governamentais da capital por causa das manifestações contrárias e favoráveis a Park.

O veredicto representa a primeira destituição de um chefe de Estado e a primeira antecipação do pleito na Coreia do Sul, desde que o país voltou a realizar eleições democráticas em 1987, após o mandato de duas juntas militares (uma das quais liderou o general Park Chung-hee, pai de Park Geun-hye).


Fonte: iG