Trump diz notícia da interferência da Rússia em eleição é ridícula

Trump sempre negou as conclusões da comunidade americana.

O presidente eleito dos Estados Unidos Donald Trump afirmou neste domingo que não acredita nas conclusões da agência de inteligência americana (CIA), segundo as quais a Rússia interferiu nas eleições para ajudá-lo a vencê-las.

"Acho que é ridículo. É outra desculpa. Não acredito", declarou o magnata ao canal Fox, que o questionou sobre essa revelação feita pelo jornal "The Washington Post".

"Não sabem se foi a Rússia, a China ou qualquer outro" que hackeou as contas informáticas de organizações políticas durante a campanha presidencial, acrescentou.

Segundo Trump, foram "os democratas que tornaram público porque sofreram uma das maiores derrotas da história política do país". Indagado se os democratas tentariam enfraquecê-lo com essas revelações, Trump respondeu: "É possível".


Na véspera, o "Washington Post" afirmou que uma avaliação secreta da CIA determinou que a Rússia interferiu nas eleições americanas com o objetivo de ajudar Trump a conquistar a Casa Branca.

O relatório foi publicado depois que o presidente Barack Obama ordenou uma revisão dos ciberataques que ocorreram durante as recentes eleições, em meio a crescentes pedidos do Congresso por informações sobre a extensão da interferência russa na campanha.

Trump sempre negou as conclusões da comunidade de inteligência americana sobre o envolvimento russo.

"Essas são as mesmas pessoas que disseram que Saddam Hussein tinha armas de destruição em massa", afirmou a equipe de transição de Trump em um comunicado.

"A eleição terminou faz tempo em uma das maiores vitórias da história do Colégio Eleitoral. Agora é hora de ir adiante e fazer os Estados Unidos grandes de novo", acrescentou o texto, usando o slogan da campanha de Trump.

Fonte: Com informações do G1