Internações aumentam devido problemas respiratórios em Teresina

A informação é da Secretaria Municipal de Saúde

Dados do Relatório de Prestação de Contas da Saúde de Teresina revelaram que houve aumento das internações em decorrência de doenças respiratórias, como pneumonias bacterianas, asmas e bronquites. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde, que faz um monitoramento desses atendimentos.

O relatório possibilitou uma comparação entre os dois primeiros quadrimestres do ano: no 2º quadrimestre de 2016, foram registradas 412 internações por essas condições, ao passo que no 1º quadrimestre, o número foi de 286, o que representa um aumento de 44,06%.

A gerente de monitoramento da Secretaria Municipal de Saúde, Sheylla Maranhão, explica que o órgão tem realizado o monitoramento dos indicadores de internação hospitalar e atendimento ambulatorial. “o Percentual do ICSAB (Internações por Condições Sensíveis à Atenção Básica) do 2º quadrimestre do ano foi de 24,04% e mesmo estando dentro do esperado, segundo os parâmetros do Ministério da Saúde, foi possível notar um aumento de internações por problemas respiratórios, comparando-se os dois primeiros quadrimestres do ano. Isso precisa ser melhor analisado, do ponto de vista epidemiológico”, explica.

Sheylla Maranhão afirma ainda que o aumento do número de internações por doenças respiratórias em Teresina pode estar relacionado às condições climáticas atuais da capital piauiense, que tem registrado elevadas temperaturas e baixa umidade relativa do ar.

Cuidados

A médica pneumologista Tatiana Santos faz um alerta especial à população para os cuidados com a saúde nesse período de baixa umidade relativa do ar. Ela recomenda a adoção de medidas simples que previnem problemas respiratórios, como aumentar a ingestão de líquidos, utilizar umidificadores de ar ou bacia com água no ambiente doméstico e, ainda, evitar fazer atividade física entre as 9h e 16h.

Em relação às queimadas, a orientação é evitar locais com fumaça para não inalar a fumaça. “A fumaça de queimadas ou incêndios não se dissipa facilmente e isso piora a situação de quem já tem problema respiratório, como rinite, asma, e pode desenvolver problema em quem não tem. Os sintomas seriam irritação nos olhos ou na garganta, sensação de falta de ar, desconforto respiratório e/ou tosse prolongada”, afirma.

Fonte: Com informações da Ascom
logomarca do portal meionorte..com