Internações por complicações do diabetes diminuem 47,16% em THE

Casos estão sendo melhores diagnosticados e controlados na capital

Apesar do crescente número de casos de diabetes no país, as internações por complicações dessa doença diminuíram na rede SUS de Teresina. O dado é da Secretaria Municipal de Saúde e aponta que em 2015 foram 567 internações por essa condição, a menor quantidade já registrada em um ano, desde 2010. A diminuição corresponde a 47,16% e permite constatar que os casos de diabetes estão sendo melhores diagnosticados e controlados na Atenção Básica da capital.

Aderivaldo Andrade, secretário municipal de saúde, explica que a informação foi extraída do ICSAB (Internações por Condições Sensíveis à Atenção Básica), que avalia a qualidade da assistência à saúde pública.

“Esse indicador do Ministério da Saúde avalia a atenção básica e enumera 17 grupos de doenças, como diabetes, que se forem diagnosticadas e tratadas na atenção básica não evoluem para internações. Isso significa que, quanto menor for o número de internações, mais eficaz está sendo o trabalho da atenção básica”, comenta.

 (Crédito: Reprodução)
(Crédito: Reprodução)

O secretário ainda informa sobre o fluxo de atendimento em Teresina a usuários com diabetes. Segundo ele, o usuário diagnosticado com diabetes deve realizar o acompanhamento da doença no posto de saúde mais próximo da sua residência.

“Nos casos em que a doença esteja descompensada, comprovada por meio de exames, o médico do posto pode encaminhá-lo para o Centro de Atenção ao Diabético (CAD), que fica no Lineu Araújo”, conta.

Segundo a endocrinologista Lúcia Farias, o diabetes se caracteriza por glicemia elevada. Se for menor que 100 mg/dl é considerada normal. Entre 100 e 125, pré-diabético e acima de 126mg/dl, em jejum, é diabético. O diabetes é uma doença que não tem cura, mas se for bem controlada pode evitar complicações crônicas, como insuficiência renal, amputações, retinopatia diabética, entre outras.

Prevenção

A endocrinologista faz um alerta à população sobre os sintomas da doença: “O indivíduo com diabetes urina muito, perde peso, sente fraqueza e dor nas pernas. Esses sintomas só aparecem quando a glicemia já está acima de 180mg/dl. A mensagem que deixo é que a população se previna e evite obesidade, má alimentação e falta de atividade física. A atividade física não é só para ficar mais bonita, mas uma aliada no combate de doenças em geral”, conclui.


Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com