Joesley Batista e Saud são levados para Brasília em avião da PF

Os dois decolaram do Aeroporto de Congonhas às 14h.

Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, e o executivo da empresa Ricardo Saud decolaram do Aeroporto de Congonhas às 14h rumo a Brasília, onde ficarão presos.  Os dois passaram a madrugada na superintendência da Polícia Federal em São Paulo e às 10h da manhã deixaram o local. 

Eles só entraram na aeronave quase três horas depois porque a polícia aguardava a chegada dos malotes apreendidos durante o cumprimento de mandados de busca e apreensão em imóveis ligados a eles. Entre os materiais recolhidos estão documentos e laptops, que também foram colocados no voo para a capital federal.

Em Brasília, Joesley e Saud devem primeiro ir à Superintendência da PF e, depois, ao Instituto Médico-Legal (IML). Após pedido da defesa, o Supremo Tribunal Federal abriu uma exceção e determinou que o exame de corpo de delito dos presos seja realizado somente em Brasília. O memorando foi enviado ao setor de custódia da PF em São Paulo no início da noite de domingo.

As prisões são temporárias, com prazo de cinco dias, e podem ser revertidas para preventivas, sem prazo para terminar. Em um áudio, Joesley e Saud chegaram a dizer que não seriam presos. Os dois são suspeitos de omitir informações aos investigadores, o que quebraria o acordo de delação premiada.

Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, ao lado de Joesley Batista (Crédito: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)
Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, ao lado de Joesley Batista (Crédito: Felipe Rau/Estadão Conteúdo)


Fonte: Com informações do G1