Mãe implora para juiz manter sua filha usuária de heroína presa

A jovem confessou ter cometidos futos e roubos para sustentar vício

O desespero de Wendy Probert, de 54 anos de idade, é tanto que, durante o julgamento da filha usuária de heroína, ela implorou ao juiz Daniel Pearce-Higgins pela permanência da jovem na prisão.

A britânica Kimberley Probert, de 30 anos de idade, foi sentenciada pela Corte de Worcester Crown nesta terça-feira (19), após admitir uma série de furtos e tentativas de furtos cometidos para sustentar o vício na droga


Convidada pelo juiz a dar o seu ponto de vista, Wendy explicou que a filha deveria continuar atrás das grades até ser avaliada por algum centro de reabilitação. "Eu não a quero fora até que ela tenha feito isso", pontuou

Depois de concordar com Wendy, o juiz Pearce-Higgins suspendeu a sentença até janeiro de 2018 e decidiu manter Kimberley sob custódia

Kimberley cometeu uma série de roubos na cidade de Worcester entre abril e agosto deste ano. Em um dos casos admitidos por ela ao tribunal, contou ter simulado necessitar de ajuda e, ao receber o auxílio, apropriou-se da carteira da vítima bem intencionada.


Wendy também contou que a filha tem sofrido e precisa de algum tipo de ajuda. "Eu fiz isso por amor e desespero de mãe", justificou sobre o pedido feito ao juiz para não deixar Kimberley em liberdade.

Mãe de duas crianças, Kimberley está afastada das drogas há quatro meses e meio. "Ela estará na prisão durante o Natal, mas no momento, ela está no lugar mais seguro. Se esse juiz a deixasse sair da prisão, você não sabe o que ela teria feito", explicou Wendy.


A mãe está convicta de que Kimberley não pode voltar para as ruas tão cedo. "É um fato muito triste da vida. Eu só espero que ela receba a ajuda de que precisa", contou Wendy.


Fonte: r7
logomarca do portal meionorte..com