Maternidade Evangelina Rosa terá 40 leitos de UTI neonatal até 2018

A maternidade já conta com 30 leitos de Unidade de Terapia.

A Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDer) terá, até 2018, 40 leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin), concentrando a assistência em alta complexidade neonatal. Esse é o entendimento entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e a Fundação Municipal de Saúde (FMS), ao apresentar, nessa segunda-feira (4), ao Ministério Público Estadual (MPE/PI), o Plano Emergencial de Redução da Mortalidade Infantil na capital. Uma das estratégias do plano é direcionar os esforços de assistência na maternidade porque a unidade dispõe de infraestrutura adequada, de equipamentos e de pessoal para melhor assistência aos pacientes de alto risco.


Pelo plano, enquanto a maternidade ficará com os leitos de Utin, as maternidades do município ficarão com os leitos de Cuidados Intermediários, funcionando também como retaguarda. A MDer já conta com 30 leitos de Utin, sendo que 10 foram entregues ainda no primeiro semestre de 2017, e mais 34 leitos entre Cuidados Intermediários Comum (Ucinco) e Canguru.

O superintendente de Assistência à Saúde da Sesapi, Alderico Tavares, explica que “a centralização dos leitos de Utin na maternidade deve ocorrer porque há maior gama de profissionais que possam intervir no neonatal e melhorar sua saúde. Na Evangelina Rosa nós temos o serviço de neurocirurgia neonatal, que não é ofertado em outra unidade pública. Uma criança que nasça em estado grave, que precisa de intervenção neurocirúrgica pediátrica, esse profissional existe na maternidade, impedindo o deslocamento entre unidades”.

“É um ganho importante, tanto matematicamente, pois vai haver aumento na quantidade de leitos, como também na agilidade na assistência ao bebê”, afirma Tavares. De acordo com ele, o plano foi proposto à secretaria em maio passado e “nós vamos dar apoio para a execução, visando à melhoria e expansão dos serviços”.

O superintendente afirma que a assistência qualificada ao neonatal é uma realidade que também se observa no interior do estado, com a descentralização dos serviços em Parnaíba e Floriano, que atualmente contam com 30 leitos, sendo que no Hospital Estadual Dirceu Arcoverde são 20 leitos, entre Utin e Ucinco, e no Regional Tibério Nunes, em Floriano, com 10 leitos. “De Parnaíba, de janeiro para cá, apenas duas crianças neonatos foram transferidas para Teresina”, afirma Alderico Tavares.

Além daqueles hospitais, o Estado reforça a assistência ao recém-nascido com a abertura de novos leitos em Picos, com 20 leitos; em Floriano, com mais 10 leitos de Ucinco. Estão previstos ainda mais 20 leitos de Cuidados Intermediários nos hospitais da rede estadual nos municípios de Piripiri e São Raimundo Nonato.

Fonte: Ascom
logomarca do portal meionorte..com