Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Médico sanitarista que ajudou a fundar o SUS, Hesio Cordeiro morre

A luta de Hesio Cordeiro por uma saúde gratuita e universal no Brasil começou durante a ditadura militar.

Compartilhe

O médico sanitarista e professor Hesio de Albuquerque Cordeiro morreu no domingo (8), aos 78 anos, no Rio de Janeiro, em função de uma doença degenerativa. Com carreira dedicada à saúde pública, Hesio foi um dos formuladores da proposta de criação de um "sistema universal de saúde" no Brasil e ajudou a fundar o SUS.

A luta de Hesio Cordeiro por uma saúde gratuita e universal no Brasil começou durante a ditadura militar. Em 1971, o médico liderou um pequeno grupo de médicos e sanitaristas progressistas que fundou o Instituto de Medicina Social (IMS) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Além de ser o primeiro programa de pesquisa sobre saúde pública no país, o IMS formulou as bases para que a Constituição de 1988 criasse o Sistema Único de Saúde (SUS).

Hesio nasceu em 21 de maio de 1942, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Formou-se em medicina pela UERJ em 1965.

Entre 1971 e 1978, ele trabalhou como consultor da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), agência da Organização Mundial da Saúde (OMS), sem se desligar do IMS/UERJ.

Grupo de trabalho na gestão Tancredo

Durante o governo de Tancredo Neves, integrou um grupo de trabalho para ampliação e organização do sistema de saúde do país.

O médico brasileiro e vice-diretor da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Jarbas Barbosa, postou nas redes sociais uma homenagem ao colega e afirmou que a morte de Hesio é uma perda para a saúde pública nacional.

"Grande perda para a saúde pública brasileira. Descanse em paz, Hesio. A melhor homenagem à sua vida é continuar lutando para fortalecer e aperfeiçoar o SUS" - Jarbas Barbosa, vice-diretor da Opas.

Em nota, a Uerj informou estar "consternada" com a morte de Hesio, que foi reitor da universidade nos anos 90.

"Hesio Cordeiro tem sua trajetória entrelaçada à própria história do movimento sanitário do país e dos acontecimentos mais marcantes da saúde, nos últimos 45 anos. Da mesma forma, sua atuação como reitor da Uerj entre 1992 e 1995 constitui um marco, ao promover a capacitação docente e estabelecer as bases para o crescimento da Universidade como instituição dedicada não apenas ao ensino de graduação, mas também à pós-graduação, à extensão e à pesquisa científica", afirmou a Uerj.

Fundação do SUS

O SUS completou 30 anos em setembro. Ele é considerado até hoje um dos maiores e mais complexos sistemas de saúde pública do mundo.

Hesio foi um dos que propôs a criação do SUS muito antes, contudo, em 1976, quando escreveu com os colegas José Luís Fiori e Reinaldo Guimarães a carta “A questão democrática na área da saúde”.

Considerado um manifesto em defesa da saúde pública, o documento apontava a política de privatização da saúde promovida pelos militares como causa do crescimento de doenças antigas e da mortalidade infantil no Brasil. A gestão dos militares no setor foi classificada por Hesio como "uma política governamental privatizante, concentradora e anti-popular".


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar