“Tira as crianças, tira as crianças, e quando cheguei perto dele, ele não tinha mais pulso”, contou Henrique de Oliveira, de 22 anos, sobre o pedido feito, instantes antes de morrer, pelo motorista da van escolar atingida por uma árvore na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O acidente ocorreu na noite desta sexta-feira (7).

A vítima foi identificada como Ranur Pierre da Silva Carneiro. O corpo está no Instituto Médico Legal (IML) para exames.

Oliveira contou que foi o primeiro a chegar perto da van após o acidente na Avenida Nossa Senhora do Carmo. Ele retornava do trabalho no ônibus 5106. Em seguida, equipes do Corpo de Bombeiros chegaram ao local.

“Eu estava dentro do ônibus e eu escutei o barulho e viu umas explosões. Olhei pela janela e vi as árvores caídas e os carros. Eu falei com o motorista que eu era socorrista de resgate, pedi para ele abrir a porta. Cheguei, olhei a situação. Escutei o barulho dos meninos gritando dentro da van, aí escutei o motorista gritando para eu tirar as crianças”, explicou. O jovem disse que tem formação em socorrista de resgate, mas não atua profissionalmente.

\"
(Crédito: Reprodução/TV Globo)

As cinco crianças foram retiradas. “Arrebentei o cinto de segurança [da que estava presa na frente] e tirei ela lá de dentro. Aí quando eu dei a volta, infelizmente o motorista já estava em óbito”, reafirmou. Ele acompanhou os trabalhos no local até por volta das 22h e amanheceu com o sentimento de tristeza. “Triste. Ainda estou tentando entender o que aconteceu”, disse.

O empresário Leonardo Meyer também contou que ajudou no resgate e que o motorista estava muito machucado. \"Quando tentei conversar com o motorista, ele não respondia nada. Estava muito esmagado, porque a árvore caiu exatamente em cima dele\".

As crianças passam bem, segundo uma das famílias. “Eles não têm consciência do que infelizmente aconteceu com o motorista. Meu filho tá bem, tá ileso, nenhuma criança sofreu arranhão, nenhuma com semblante de que está em estado de choque, todas estão bem”, disse Arthur Brant.

\"
(Crédito: Danilo Girundi/TV Globo)

No carro ao lado havia outras duas pessoas, que também foram retiradas. Foi preciso estourar o vidro.

A árvore que caiu era de grande porte e ficava na rotatória, no início da Rua Major Lopes. O motorista ficou preso às ferragens, e a árvore precisou ser cortada para o resgate do corpo. Os trabalhos demoraram cerca de três horas, pois a região estava energizada. A morte foi confirmada por volta das 21h40.

O tenente Sérgio Magalhães, do Corpo de Bombeiros, falou sobre as dificuldades do resgate. O acidente atingiu cabos de energia.

\"
(Crédito: Reprodução/TV Globo)

\"A gente teve no início o acionamento apenas para uma árvore. Quando chegamos ao local é que a gente constatou que eram quatro árvores. A primeira árvore veio a puxar mais duas outras árvores e cair sobre uma quarta árvore. O nosso maior risco era retirar uma vítima que estava presa às ferragens. Somente após a atuação da Cemig é que o Corpo de Bombeiros teve condições de estar atuando\", explicou. Um quinto arbusto que apresentava risco de queda foi cortado.