Mulher faz sessão de bronzeamento e fica com queimaduras no corpo

Ela teve queimaduras de segundo graus após realizar procedimento

Uma mulher identificada como Aline Borges, 28 anos, sofreu queimaduras de segundo grau após fazer um procedimento de bronzeamento ficando com o corpo todo manchado. Ela registrou um Boletim de Ocorrência em Jaboticabal (SP) dizendo que a esteticista responsável usou cosméticos sem certificação no procedimento que foi feito na residência dela.

Segundo Aline, que também é modelo, a esteticista teria falado que o produto e a fórmula eram dela, que ela tinha registro da Anvisa e alvará para funconar. "Disse que era tudo legalizado, tudo 100%, mas ela acabou me queimando", disse.

A mulher sofreu queimaduras de segundo grau após bronzeamento (Crédito: Alexandre Sá/EPTV)
A mulher sofreu queimaduras de segundo grau após bronzeamento (Crédito: Alexandre Sá/EPTV)


A esteticista é Joice Radaeli que informou que está prestando toda assistência a modelo e que as queimaduras são rsultados de um acidente que foi causado pela troca do produto aplicado.

A modelo sofreu queimaduras pelo corpo (Crédito: Alexandre Sá/EPTV)
A modelo sofreu queimaduras pelo corpo (Crédito: Alexandre Sá/EPTV)

A residência da esteticista, local onde ela fez o procedimento, foi parcialmente interditado nesta segunda (16) pela Vigilância Sanitária após ser vistoriado.

Segundo a modelo, ela resolveu fazer o bronzeamento após ter sido contratada para um trabalho com bebidas e pagou pelo serviço R$ 40, no início deste mês de outubro, por uma sessão de duas horas.

Aline começou a sentir fortes dores no corpo no dia segunite após o procedimento. O quadro evoluiu para febre e náuseas e nesse momento ela se dirigiu até a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) para tratar as queimaduras. A modelo quer que a esteticisa seja responsabilizada e que assuma as despesas do tratamento médico.

A diretora de Vigilância Sanitária de Jaboticabal, Eliane Ferreira de Souza, disse, após vistoria, que o local onde foi feito o bronzeamento é precário e sem condições de funcionar.

Maca empoeirada e velha serve de mesa para guardar fitas isolantes usadas na aplicação em Jaboticabal, SP  (Crédito: Alexandre Sá/EPTV)
Maca empoeirada e velha serve de mesa para guardar fitas isolantes usadas na aplicação em Jaboticabal, SP (Crédito: Alexandre Sá/EPTV)

“Nós constatamos que não tem licença. O local não tem condições de estar aberto. Não é uma clínica. Na verdade, eles entram como serviços de estética, manicure, mas não têm condição de funcionamento”, diz Eliane.

Em sua defesa, a esteticista diz que há cinco anos trabalha com bronzeamento e negou qualquer produção artesnal e disse que o ocorrido foi um acidente porque ela fez uma troca de produtos.

“Em qualquer trabalho pode acontecer um acidente. Eu compro o produto, tiro do pote que eu compro e ponho em outro pote só com a etiqueta com o meu nome. Não sou eu que fabrico. Já fui à delegacia, já levei as fotos dos potes, os produtos, tudo certinho.”

Joice diz que tomou conhecimento das queimaduras no corpo de Aline por terceiros e afirma que está prestando toda assistência à cliente.

“As receitas e as notinhas de tudo que eu comprei estão comigo. Eu tenho provas de que dei assistência para ela.”








Fonte: g1
logomarca do portal meionorte..com