Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Pedreiro perde R$ 2700 em enchente, e recebe doações para voltar para PE

José Damião está ansioso para voltar para sua terra natal, em Pernambuco. Pedreiro perdeu R$ 2.700 após casa ser atingida por enchente em Cubatão.

Compartilhe

José Damião Sobrinho, o pedreiro de 57 anos que perdeu R$ 2.700 na enchente do dia 22 de fevereiro, em Cubatão (SP), não vê a hora de voltar para Pesqueira, em Pernambuco, sua terra natal. O drama do pedreiro mobilizou o país. Centenas de pessoas se comoveram e fizeram doações para que a viagem fosse possível. Uma companhia aérea também cedeu passagens para José Damião e sua família.


Não vejo a hora de ir embora

O pedreiro ainda se emociona quando lembra do dia quando perdeu um saco onde guardava todo o dinheiro que juntou para retornar à sua cidade, mas está muito feliz com as mudanças que aconteceram em sua vida nas últimas semanas. "Eu tinha perdido tudo. Agora, graças à ajuda de pessoas de todo o Brasil, tenho mais do que tinha", comemora.

Apesar da alegria de ter reconquistado a dignidade, José Damião quer deixar bem claro que não ficou milionário. "Tem gente achando que estou rico. Dá até medo. É mais um motivo para querer ir embora logo", explica o pedreiro.

A ansiedade para voltar à cidade de origem, junto com sua filha de 16 anos, só não é maior que a expectativa por um sorriso novo. "Minha dentadura já está pronta. Ficou muito bonita. Vou pegar na semana que vem, em uma clínica em São Vicente. Não poderia voltar para Pernambuco sem ela", diz José Damião.


Não vejo a hora de ir embora

Caso

A cidade de Cubatão (SP) sofreu com as fortes chuvas que atingiram o município no dia 22 de fevereiro. Diversas casas foram destruídas por uma enchente e muitas famílias ficaram desabrigadas ou desalojadas, situação que persiste até hoje, causando grandes transtornos ao município.

Algumas famílias ocuparam o conjunto habitacional Bolsão 9, mas depois foram obrigadas a sair por conta de uma reintegração de posse. Revoltadas, muitas foram para a frente da Prefeitura protestar. Voluntários ajudam nos alojamentos e doações foram enviadas para os desabrigados. O pedreiro José Damião Sobrinho foi um dos prejudicados com a chuva e perdeu uma sacola com R$ 2.700.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar