Piauí: detentos ajudam família com renda de artesanato

Preços das peças variam entre R$ 20 e R$ 100

Jogos americanos, mandalas e cestas de piquenique são alguns dos produtos feitos por detentos da Penitenciária Regional de Oeiras, por meio do artesanato. Quinze reeducandos participam do projeto de ressocialização, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) na unidade penal.

Esses detentos fizeram parte de oficinas de artesanato, realizadas por meio de parceria entre a Secretaria da Justiça e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Foram ministradas noções para a confecção desses produtos durante 40 horas/aula e a principal matéria-prima é a carnaúba, árvore comum no Piauí.

“Notamos o empenho e a empolgação dos reeducandos em participar e aprender a fazer artesanato. Mais importante do que ministrar o curso a eles e perceber seu engajamento é saber que esse trabalho poderá, sem dúvida, abrir novas oportunidades de vida”, explica a professora Marisa Veras, do Senar.

Os detentos fizeram parte de oficinas de artesanato  (Crédito: Reprodução )
Os detentos fizeram parte de oficinas de artesanato (Crédito: Reprodução )

O gerente da Penitenciária de Oeiras, Isaú Moura, observa que aprender o artesanato possibilita, aos detentos, melhores chances de ingresso no mercado de trabalho e uma renda.

“Além de tirar o reeducando da ociosidade, ele ganha um dinheirinho com a venda dos produtos, para ajudar a família”, ressalta o gestor.

As peças artesanais produzidas pelos reeducandos da Penitenciária Regional de Oeiras são comercializadas por valores que variam de R$ 20 a R$ 100. Na unidade prisional, também é desenvolvido o programa Educação de Jovens e Adultos (EJA), por meio de parceria entre as secretarias da Justiça e da Educação.

Fonte: Portal Meio Norte
logomarca do portal meionorte..com