Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Piauí vacina mais de 92% do rebanho bovino contra aftosa

Os índices foram divulgados pelo governador Wellington Dias.

Compartilhe
Google Whatsapp

Na primeira etapa da campanha contra a febre aftosa em 2016, o Piauí superou a meta de imunização do gado estabelecida pelo Ministério da Agricultura e vacinou 92,94% do rebanho bovino, seguindo como zona livre da aftosa. Os índices foram divulgados pelo governador Wellington Dias durante solenidade realizada na manhã dessa quinta-feira (25), no Palácio de Karnak.

A vacinação ocorreu de 7 a 30 de maio. Os criadores tiveram até o dia 30 de junho para fazer a certificação, prazo definido para atender, de forma satisfatória, a demanda do rebanho piauiense, estipulado em 1 milhão e 635 mil bovinos e bubalinos. A segunda etapa será realizada no mês de novembro. O objetivo é manter o ritmo das campanhas dos anos anteriores (em 2015, 95% do rebanho piauiense foi vacinado), para que, em breve, o estado passe a ser reconhecido como área livre da aftosa sem vacinação.

“O Piauí chegou ao status de área livre da aftosa com vacinação em 2014. O selo é concedido pelo Ministério da Agricultura, com chancela da Organização Mundial de Saúde Animal. Hoje comemoramos vários anos sem a doença dentro do território do Piauí e estamos trabalhando novas metas desafiadoras. Cuidar para que os matadouros públicos possuam veterinários é uma das medidas que serão tomadas para quem em 2017 possamos alcançar essa condição de área livre da aftosa sem a vacinação, que é o ideal”, pontuou o governador.

Ainda segundo Wellington, o objetivo da campanha é garantir a condição alimentar para os consumidores no Piauí, além da possibilidade de livre circulação do gado piauiense por outros estados brasileiros, seja vivo ou abatido. “Isso melhora a renda da população. Anos atrás um bezerro era vendido no Piauí a R$ 200 no máximo. No momento em que passamos a ter o controle da aftosa e de outras doenças, passamos a comercializar para todo o Brasil, triplicando e por vezes quadruplicando o preço do animal. Isso fortalece a economia e o produtor”, ressaltou.

Para o contínuo resultado positivo, a Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi) tem feito campanhas constantes de conscientização. “Hoje o pecuarista tem a consciência de que rebanho vacinado é rebanho sadio, mas o trabalho preventivo continua. Nossa meta é alcançar índices que possam deixar o Piauí livre de doenças nos animais, não só a aftosa, mas a brucelose, a peste suína, influenza das aves, dentre outras”, complementou o diretor geral da Adapi, Antônio Justino. 


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se