Pilha é achada em intestino de bebê que ia visitar preso com a mãe

Detector de metal de presídio de interior flagrou objeto

Três baterias foram detectadas, no último sábado (26), no intestino de uma criança na entrada da penitenciária de Junqueirópolis, informou a SAP (Secretaria de Estado da Administração Penitenciária).

De acordo com a pasta, a menina, de dois anos, passou pelo detector de metais no colo da mãe, companheira de sentenciado da unidade, acionando o aparelho positivamente.

Ambas foram levadas ao Pronto Atendimento Municipal para a realização de exame de raios X — segundo a SAP, a mãe autorizou o exame na criança.

Três objetos metálicos foram detectados na criança. Enquanto mãe e filha aguardavam o parecer médico, a menina pediu para ir ao banheiro. Depois disso, conforme a pasta, a mãe pegou as baterias e entregou ao médico.


Outro caso

Também no sábado, a SAP identificou outro caso de mãe usando criança para entrar com objeto em uma cadeia.

O caso ocorreu no CDP (Centro de Detenção Provisória) II de Guarulhos.

A companheira de um dos presos da unidade, estava com o filho de dois anos no colo quando passava pelo detector. O aparelho acusou a presença de material metálico.

De acordo com a pasta, a mãe foi questionada e teria aparentado nervosismo. Como a visitante pressionava a mão da criança, os agentes foram verificar e encontraram um chip de celular com o menino.

Presos isolados

Ainda conforme a SAP, em ambos os casos, as mães foram levadas para delegacia da região. Elas foram suspensas do rol de visitas e os presos que receberiam os objetos foram isolados e devem responder a procedimento apuratório disciplinar.

Fonte: Com informações do R7