Polícia prende ex-gerente acusado de desviar R$ 10 milhões do BB

Ele foi preso nesta terça-feira durante ação da Operação "Sangria"

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (17), em sua residência, em Curitiba, um ex-gerente do Banco do Brasil durante operação "Sangria" que investiga um esquema de fraudes que desviou mais de R$ 10 milhões da instituição bancária.

Foram cumpridos na ação 54 mandados judiciais no Paraná, São Paulo, Goiás e Distrito Federal.

As investigações apontaram que o ex-gerente, que trabalhava em uma agência no centro Curitiba, tinha ajuda de várias pessoas e entre elas um Contador que também foi preso, segundo informou a políclia.

Ex-gerente foi preso nesta terça-feira (17) (Crédito: Reprodujção/RPC)
Ex-gerente foi preso nesta terça-feira (17) (Crédito: Reprodujção/RPC)


Do total de mandados, sete são de prisão temporária e outros sete são de condução coercitiva --quando a pessoa é levada para prestar depoimento. Também são cumpridos cinco mandados de bloqueios de bens, 16 de bloqueios de contas bancárias e 19 de busca e apreensão.

As investigações apontam que, além do Banco do Brasil, o esquema criminoso teria lesado sócios que não tinham conhecimento dos fatos.

A ação investiga, desde o ano passado, crimes de peculato, falsificação de documentos públicos e particulares, expedição de duplicatas simuladas, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

O Banco do Brasil divulgou, em nota, que  "após identificar indícios de irregularidades, concluiu investigações da Auditoria Interna que resultaram na demissão por justa causa de um funcionário, em junho de 2016, e na apresentação de notícia crime à polícia".

O Banco do Brasil também afirmou que seguirá colaborando com as investigações policiais para que todos os fatos sejam esclarecidos.

O crime acontecia da seguinte forma: O contador (que também foi preso) abria contas bancárias sem que os donos das empresas soubessem usando documentos falsos. Após isso, os dados eram repassados ao gerente do BB que realizava empréstimos financeiros e as antecipações de títulos.

Segundo informações policiais, o ex-gerente alterou cadastros de empresários no sistema do banco sem o consentimento deles para as transferências acontecessem e fossem repassadas para contas bancárias da quadrilha.

Fonte: g1
logomarca do portal meionorte..com