Timon:Preso pai suspeito de estuprar e engravidar filha de 11 anos

Evangelina Rosa descartou o aborto na menina de 11 anos.

A Polícia Civil prendeu na cidade de Barra do Corda, no Maranhão, um homem  acusado de estuprar a filha, uma criança de apenas 11 anos de idade. O estupro ocorreu em Timon, onde o acusado vivia em união estável com a mãe da garota. O caso ganhou bastante repercussão. 

De acordo com o delegado Renilton Ferreira, responsável pela prisão, Willamy registrou a criança como filha e convivia com a mãe dela. “Eu e a minha equipe conseguimos prendê-lo após descobrirmos que ele estava escondido em uma casa em Pacambu. Foi uma investigação bem prolongada”, afirmou o delegado. 

Maternidade Evangelina Rosa
Maternidade Evangelina Rosa

Os abusos vinham acontecendo há pelo menos dois ou três anos. “Ele registrou a criança porque vivia com a mãe dela e dos sete para oito anos ele começou a abusar e ameaçar ela”. acrescentou. 

O delegado explica que os abusos só foram descobertos porque a menina começou a apresentar sinais de gravidez, o que intrigou a mãe que procurou a polícia. “O crime foi descoberto porque a mãe da menina começou a notar mudanças no corpo da filha e achou estranho, já que ela era muito nova. Ela decidiu levar a vítima ao médico e foi lá que ela descobriu que a menina estava grávida”, explicou. 

Após a comprovação, a menina foi trazida para Teresina, onde passou por novos exames. A comissão de ética da Maternidade Dona Evangelina Rosa se reuniu e resolveu não fazer o aborto consentido na criança.

Os médicos consideraram que  o tempo  gestacional estava fora da idade de interrupção legal da gravidez (até 20/ 22 semanas), sendo que, preferencialmente, a gestação deveria ser interrompida até a 12ª semana, segundo protocolos do Ministério da Saúde. 

Confira a nota enviada pela Maternidade!

A respeito da matéria veiculada na imprensa sobre uma vítima de 11 anos com gravidez decorrente de estupro, o Serviço de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (SAMVVIS) informa que depois de realizado o Boletim de Ocorrência (BO) e exame de corpo de delito no vizinho estado do Maranhão, a menor foi acolhida e atendida no SAMVVIS por uma equipe multiprofissional, onde foi realizada ultrassonografia pélvica que constatou gestação de 25 semanas, feto único, totalmente formado, batimentos cardíacos e formação normal sem nenhuma anormalidade visível.

A gestante adolescente não apresentava sintomas de anormalidades em sua saúde física ou mental no momento do exame físico e não se encontra internada. Considerando que a idade gestacional está fora da idade de interrupção legal da gravidez (até 20/ 22 semanas), sendo que, preferencialmente, a gestação deveria ser interrompida até a 12ª semana, segundo protocolos do Ministério da Saúde, o procedimento de interrupção da gravidez não foi indicado. A não interrupção da gravidez nessa idade gestacional objetiva ainda salvaguardar a saúde da adolescente e do seu concepto, assegurar os princípios éticos e legais do serviço de saúde e de seus profissionais, bem como reduzir riscos de morbimortalidade materna.

Importante ressaltar que este Serviço irá disponibilizar toda assistência necessária para o acompanhamento da gravidez e do parto com qualidade e humanização, ocasião em que será orientada e encorajada para as possibilidades de cuidar da criança ou, se preferir, disponibilizar para adoção.

O SAMVVIS lamenta a triste ocorrência; mais uma vez se solidariza com mulheres que passam por essa inequívoca expressão de desigualdade de gênero; reconhece as repercussões físicas, sociais e psicológicas na vida pessoal e familiar de cada vítima; se envolve na dor dessa e outras tantas mulheres que procuram superar transtornos causados pelo hediondo crime de abuso sexual enquanto conclama toda a sociedade, no mês que lhe é dedicado, a fazer parte da luta pelo respeito e dignidade de todas as mulheres

Dra. Maria Castelo Branco Coordenadora do SAMVVIS Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER)

Fonte: Portal Meio Norte/G1-MA
logomarca do portal meionorte..com