Procura masculina por procedimentos estéticos quadruplicou no país

Quantidade de procedimentos passou de 72 mil para 276 mil

As mulheres tem a fama de serem sempre mais vaidosas. Mas os tempos estão mudando, elas estão ocupando espaços que antes não ocupavam e agora os homens também estão invadindo o universo feminino. Isso pode ser verificado através do crescimento da procura masculina por cirurgias plásticas.

Nos últimos anos, quadruplicou no país o número de homens que se submetem a cirurgias plásticas estéticas, segundo levantamento da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica). Entre 2009 e 2014, a quantidade de procedimentos passou de 72 mil para 276 mil ao ano (31,5/hora, em média). A redução das mamas (ginecomastia), a lipoaspiração e a cirurgia de pálpebra lideram o ranking de procedimentos mais realizados.

De acordo com o cirurgião plástico Davis Barbosa, existem dois grupos de homens. Os mais jovens (por volta dos 20 a 30 anos) que procuram os procedimentos mais para realizar lipoaspiração e plástica do nariz. E os mais velhos (a partir de 50 anos) que dão preferência à cirurgia de pálpebras e face. Um novo grupo que tem surgido nos últimos anos é dos pacientes que realizaram cirurgia bariátrica. “É cada vez mais frequente a realização de cirurgias entre estes homens após a grande perda de peso. A cirurgia que eles mais realizam é a plástica do abdome, mas também tem muitos buscando a lipoaspiração, correção de ginecomastia (mamas grandes), plástica de coxas e de braços”, explica.

Segundo Davis, os homens tendem a ter resultados pós-operatórios muito bons e atingem grande nível de satisfação. “A lipoaspiração do abdome no homem tende ter um resultado melhor que a média das mulheres pois a musculatura masculina tende a ser mais definida, oferecendo um resultado mais próximo do ideal”, ressalta.

O médico ainda explica que os cuidados pós-operatórios são, em grande parte, os mesmos que nas mulheres. “Os homens costumam realizar as orientações pós-operatórias de forma mais cuidadosa. Entretanto, têm mais dificuldades em utilizar medicações por longo período, tais como medicamentos para melhorar a qualidade das cicatrizes, protetor solar etc”, afirma.




Fonte: Abril
logomarca do portal meionorte..com