Rede Cegonha está em consolidação no PI, atesta Ministério da Saúde

Com a garantia da assistência à gestante e bebê

Uma ampla rede de assistência à mulher e ao bebê está em fase de consolidação no Piauí, foi o que apontou a área de infraestrutura do Ministério e da Secretaria de Estado da Saúde em reunião realizada nesta segunda (26), ao fazer um balanço da Rede Cegonha no Estado. De acordo com o levantamento dos órgãos, entre obras, aquisição de equipamentos e habilitação dos serviços, o Estado está com quase 100% do planejamento do programa executado.

De norte a sul, somente na parte estrutural, a Rede Cegonha teve um avanço significativo, desde obras entregues a aqueles em fase de finalização, como Centros de Parto Normal e leitos de Terapia Intensiva (UTI) neonatal em Parnaíba, Piripiri, Teresina, Floriano, São Raimundo Nonato e Picos e ainda adequações de hospitais gerais para assistência à gestante e à puérpera, com a ambientação de leitos comuns.

“Obras com o objetivo de adequar a porta de entrada dos hospitais gerais para o acolhimento das gestantes e o alojamento na enfermaria obstétrica, principalmente, com o objetivo de atender a lei que garante a presença do acompanhante durante todo o período de estadia da gestante e puérpera nas unidades hospitalares”, disse Cristiane Moura Fé, superintendente de Atenção à Saúde.

Em Parnaíba, Teresina e Floriano, já foram entregues 30 leitos de UTI Neonatal, o que ampliou e qualificou a assistência aos recém-nascidos que precisam de cuidados especiais. Ainda são previstos mais 50 leitos, entre UTI e Cuidados Intermediários, em Picos, Floriano, Parnaíba, Piripiri e São Raimundo Nonato, todos em fase avançada de conclusão.

A assistência hospitalar à gestante também é garantida com a abertura de Centros de Parto Normal (CPNs), com duas unidades em funcionamento: uma na Maternidade Dona Evangelina Rosa, em Teresina, que funciona desde 2010, e outra em Piripiri, inaugurada em 2016, funcionando no Hospital Regional Chagas Rodrigues. Em São Raimundo Nonato e Parnaíba, as obras estão em etapa final de conclusão. A de Floriano deverá ser entregue já neste início de julho.

A Casa da Gestante, outra importante obra para acolhimento à puérpera, que precisa de cuidados especiais, mas sem necessidade de internação hospitalar, funciona em Teresina e Floriano, que deverá receber também uma nova unidade. A de Parnaíba também está em obras em fase de finalização.

Para acompanhar essas obras e certificar a execução nos prazos acordados, as equipes da Secretaria e do Ministério da Saúde sairão nesta terça, 27, em dois grupos para verificar in loco todos os percentuais de execução, ver pendências e definir prazos para o funcionamento dos serviços. 

Fonte: Com informações do Portal do Governo