Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Regularização do abastecimento d’água beneficia 32 mil pessoas

Águas de Teresina regularizou acesso de comunidades recém-consolidadas

Compartilhe

O acesso à água é essencial para a vida humana. Seja para a matar a sede em um calor que supera os 40ºC, ou mesmo para a higiene, fundamental neste período de pandemia, esse é o recurso natural imprescindível à vida. Nos últimos anos mais de 32 mil pessoas foram beneficiadas com o acesso ao líquido após regularizações junto à Prefeitura Municipal de Teresina.

Regiões beneficiadas com regularização no abastecimento


No total, já foram implantadas 78 km de rede regular de abastecimento, o que permitiu a implantação de hidrômetros e a retirada de gambiarras. O valor investido foi R$ 20.695.520, beneficiando as regiões do Parque Vitória, Dilma Rousseff, Parque Eliane, Padre Humberto, Leonel Brizola, Terra Prometida, Dandara dos Cocais, Vila Nova Esperança, Residencial Ananias Carvalho, Vila Nova Conquista I e II. 


Isso confere saúde e dignidade às famílias atendidas, uma vez que passam a ter abastecimento regular de água tratada. Essas melhorias também têm reflexo na valorização dos imóveis. O acesso à água torna essas famílias clientes atendidos pela concessionária de forma regular, com direitos e deveres.

Águas de Teresina regularizou situação da água de mais de 32 mil famílias - Fotos: Raíssa Morais

Outra coisa simples que muitas dessas famílias não tinham: como comprovar a própria moradia. São famílias que, por meio das faturas, passam a contar pela primeira vez com comprovante de endereço, documento exigido em financiamentos e outras transações no comércio e mercado econômico.

A iniciativa conferiu à Aegea, do grupo que compete à Águas de Teresina, o Prêmio Cases de Sucesso em Água e Saneamento (ODS 6) 2019, da Rede Brasil do Pacto Global, da Organização da Nações Unidas (ONU).

“Aqui antes era lata d’água na cabeça”

Kleber Nascimento (de camisa rosa) é líder comunitário do Ananias Carvalho - Foto: Raíssa MoraisKleber Nascimento é líder comunitário da região do Ananias Carvalho, zona Sudeste de Teresina. Ele conta um pouco do início da ocupação. “Aqui era uma área institucional do município que foi cedida a uma igreja, então invadimos a área porque não fizeram nada. Aqui surgiu há cinco anos, em 16 de outubro de 2015. Tivemos uma luta judicial, levando o questionamento para o prefeito”, lembra.


O abastecimento d’água na região era por meio de gambiarras de muita lata na cabeça. “Nós compramos 800 metros de cabos e trouxemos do Alto da Ressurreição. Mas aí foi aumentando a quantidade de gente e ficamos sem água. Mas agora todo mundo tem em casa. O pessoal vinha com lata na cabeça para pegar água em regiões vizinhas. A encanação daqui era de 25 mm, então era muito pouca a vazante. Agora tá bom demais e vai ficar ainda melhor quando terminarem tudo”, acrescenta.

Foram implantadas 78 km de rede regular


Acesso à água é cidadania

Diogo Freitas, gerente de serviços da Águas de Teresina, afirma que a concessionária só pode trabalhar em áreas judicialmente demarcadas. “Nós temos a responsabilidade do abastecimento da zona Urbana de Teresina, com regularização fundiária, claro. Algumas áreas de ocupação não tinham abastecimento e nem autorização necessária para que pudéssemos implantar as ligações. Então iniciamos em 2018 com o Parque Vitória, na zona Sul, e no Dilma Rousseff, na zona Norte”, lembra.

Diogo Freitas, gerente de serviços da Águas de Teresina

O trabalho foi crescendo e logo abraçou outras localidades. “Continuamos em 2019 com mais três áreas. E em 2020 foram cinco áreas entregues, finalizando no Ananias Carvalho. São 110 famílias localizadas lá. Foram obras em toda a cidade”, acrescenta.

O acesso à água permite vários benefícios para os moradores. “Antes da regularização haviam gambiarras, expostos a uma série de riscos. Contaminações, desperdício, enfim. Aquela cena de lata d’água na cabeça. Agora com a regularização eles têm dignidade e saúde, de forma ininterrupta. Hoje isso valoriza o imóvel deles e eles têm um comprovante de residência. É cidadania e dignidade”, considera Diogo Freitas.

Central de controle da Águas de Teresina


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar