Santa Cruz dos Milagres é o 3º maior local de romaria da região

A devoção à Santa Cruz que dá nome à cidade

Uma fonte de fé. Assim pode ser definida a cidade de Santa Cruz dos Milagres, localizada a 180 quilômetros ao sul de Teresina. É considerado o terceiro maior local de romaria da região Nordeste atraindo anualmente centenas de milhares de fiéis de todo o país. A devoção à Santa Cruz que dá nome à cidade surgiu há mais de duzentos anos. Reza a lenda que um beato pediu a um vaqueiro a ajuda para fazer uma cruz e colocá-la no alto de um morro, onde hoje está situada a igreja matriz.


Muitos relatos de graças depois, o cruzeiro foi tido como santo e transformou-se em ponto de peregrinação, uma fé que dura até hoje. As principais festas religiosas acontecem no dia 3 de maio, quando se celebra a invenção da Santa Cruz; 14 de setembro, encerramento das festas de Exaltação à Santa Cruz e no segundo domingo de novembro, quando é realizado o Encontro dos Santos.

Como Chegar ?

Carro: Saindo de Teresina, pela BR 316 em direção ao sul do estado, entrando na PI 225 na cidade de São Miguel da Baixa Grande e seguindo até Santa Cruz dos Milagres.

Santuário de Santa Cruz dos Milagres

“O meu coração é só de Jesus / A minha alegria é a Santa Cruz” diz o hino entoado pelos fiéis no maior templo católico do Piauí, uma das estruturas que compõem o Santuário de Santa Cruz dos Milagres. O local é o terceiro maior centro de romaria da região Nordeste e reúne católicos de todo o país. A devoção à cruz surgiu há mais de duzentos anos quando, segundo a história oral, um beato pediu auxílio a um vaqueiro para fincar uma cruz de madeira no alto de um morro. Diz-se que o religioso então profetizou que, a partir dali aconteceriam maravilhas, bem no coração do sertão piauiense.

Depois, mostrou ao vaqueiro um olho d'água que este não conhecia, apesar de campear pela região, e disse que as águas eram milagrosas. Ao voltar para casa e encontrar a filha enferma, o vaqueiro foi até a nascente indicada pelo beato e fez com que sua criança bebesse a água e tomasse banho na fonte, curando a menina instantaneamente.

A história se multiplicou com o passar dos anos, assim como o número de fiéis que vão até a região. No santuário há duas igrejas sendo a matriz construída na metade do século XX e um templo maior, com capacidade para 3 mil pessoas, inaugurado em 2016. Há ainda a Casa dos Romeiros, onde muitos visitantes descansam de longas viagens e o olho d'água dito milagroso.



Fonte: Ccom
logomarca do portal meionorte..com