O malware criptominerador Lemon_Duck foi atualizado e agora mira máquinas que rodam Linux por meio de ataques de força bruta via SSH. Ele também explora a falha de segurança do Windows 10 SMBGhost, além de infectar servidores rodando instâncias Redis e Hadoop. A notícia está no site Olhar Digital.

O malware foi encontrado no ano passado e é conhecido por ter redes de empresas como alvo, ganhando acesso ao serviço MS SQL ou ao protocolo SMB usando EternalBlue. Uma vez que o dispositivo é infectado, o malware solta um payload XMRig Monero que usa os recursos do sistema para mineração de criptomoedas.

Para encontrar dispositivos Linux infectáveis a partir dos ataques de força bruta pelo SSH, o Lemon_Duck usa um módulo de escaneamento para procurar sistemas Linux conectados à internet procurando nos 22 protocolos de controle de transmissão de dados para login remoto SSH.