Governo investe em tecnologia para otimizar serviços no Piauí

Piauí Conectado atua como vetor de desenvolvimento econômico.

A construção de uma infraestrutura que possibilite a expansão dos serviços de banda larga por todo o território piauiense mobiliza a Agência de Tecnologia da Informação (ATI) do Governo do Estado e, por meio do projeto Piauí Conectado, implementa um cinturão de fibra ótica de Norte a Sul do estado, passando por 98 municípios e atendendo 80% dos piauienses.

Essa infraestrutura de rede de dados, tráfego de imagens e voz, possibilitará a oferta de serviços com mais qualidade e agilidade à população, além de modernizar a máquina pública com internet de melhor qualidade e custo menor, sendo esse um dos vários conceitos de inovação: fazer mais com menos recursos. “O menor link que o Estado possui hoje é de 128Kbps. Com o projeto, o menor será de 10 megas, ou seja, uma melhoria de 100 vezes em termos de velocidade”, fala Avelyno Medeiros, diretor-geral da Agência de Tecnologia da Informação.

Outra inovação do Piauí Conectado é o uso de Parceria Público-Privada para instalação do programa. “Por meio da PPP, quem investe na infraestrutura é o setor privado. Isso é inovador, pois coloca o Piauí na vanguarda por ter investimento privado com custo baixo para o Estado”, comenta Medeiros.

Diante desse cenário, o Piauí Conectado atua como vetor de desenvolvimento econômico para o Piauí. “É importante ressaltar que o Piauí possui um governador que acredita na tecnologia para a eficiência das ações do estado. Sem isso, o governo não avançaria e não inovaria. Quando o projeto chegar ao interior do Piauí e conferir maior rapidez à marcação de consultas, transferência de resultados médicos, laudos e exames online, por meio da internet, economizaremos em papel e em tinta para impressão desses arquivos. São várias as possibilidades de economia”, analisa Avelyno.

Benefícios

Todas as áreas da gestão estadual podem usar e se beneficiar do Piauí Conectado. “No setor educacional, é possível universalizar o ensino com cursos à distância, tendo um professor ministrando aula em Teresina para uma turma no município de Guaribas, localizado a 657 quilômetros da capital. Os espaços públicos podem ser monitorados pelas equipes de Segurança e polícia com câmeras de monitoramento. Para que esses serviços funcionem, se faz necessária boa estrutura de conectividade e foi com esse intuito que desenvolvemos o projeto Piauí Conectado”, fala David Amaral, diretor técnico da ATI.

Entre os serviços do Piauí Conectado mais utilizados, estão os pontos de wi-fi livre em espaços públicos. Atualmente, existem mais de 20 pontos de internet livre funcionando em municípios como Cajueiro da Praia, Luzilândia, Guadalupe,

Cocal dos Alves, além da capital. “São projetos-piloto instalados com aval do governador Wellington Dias. Essa experiência tem reforçado que a necessidade de quem precisa da internet no interior é igual ou maior que na capital. Hoje o monitoramento que a equipe da Agência de Tecnologia faz nesses locais nos aponta isso. Em março, Piripiri foi a cidade onde mais usaram a rede do governo”, exemplifica Amaral.

Para o estudante Gustavo Carvalho, o programa traz novas perspectivas. “O Piauí Conectado para mim foi uma solução, porque, às vezes, nós tínhamos o espaço para estudar, mas sem internet de qualidade para pesquisar algo ou assistir uma videoaula. O programa possibilitou esse avanço, de poder contar com uma conexão com qualidade, prática e gratuita. É uma ótima solução para todos nós estudantes”, explica Carvalho.

Orçado em R$ 302 milhões, o projeto Piauí Conectado tem prazo de execução de 24 meses após a licitação. “A cada 15 dias, três cidades receberão a infraestrutura, que já fica operando sem a necessidade de aguardar concluir a instalação da rede nos 98 municípios. As demais localidades no estado serão atendidas com tecnologia complementar via rádio ou satélite”, acrescenta David Amaral.

Aplicativos

Além da inclusão digital, o Governo do Piauí está investindo em aplicativos móveis. “Se hoje estamos levando internet ao interior do estado, também vamos disponibilizar serviços online que possam otimizar a rotina do piauiense. Então, cabe falar do aplicativo de celular Atende Sine, lançado em parceria com a Secretaria de Estado do Trabalho (Setre). Por meio dele, é possível agendar a emissão da Carteira de Trabalho e do Seguro-desemprego, consultar vagas de trabalho disponíveis e cadastradas pelas empresas”, informa o diretor Aveylno Medeiros.

Combater a violência contra a mulher, reduzir os índices de feminicídio e ainda obter estatísticas sobre locais e horários onde esses crimes acontecem é a inovação apresentada pelo Governo do Estado com o aplicativo Salve Maria. “Nesse aplicativo, há duas maneiras de denunciar qualquer violência praticada contra a mulher, qualquer pessoa no Piauí com celular de sistema Android pode baixar essa ferramenta e fazer denúncia de maneira sigilosa”, incentiva David Amaral.

Ao fazer o download do Salve Maria, o aplicativo oferece duas opções de denúncias, a primeira permite que o denunciante anexe fotos, vídeos e texto sobre a agressão. O segundo modo funciona como um botão do pânico que pode ser usada pela própria vítima no momento da agressão. Ao apertar o botão, um alarme é enviado à central de polícia com georreferenciamento indicando onde o caso está ocorrendo. Assim, a central aciona a viatura mais próxima do local para se deslocar e apurar o caso, podendo prender o agressor em flagrante.

O Salve Maria foi desenvolvido por meio de parceria entre a Secretaria de Estado da Segurança Pública e a Agência de Tecnologia da Informação. “Para o futuro,

O Governo do Piauí já se prepara para oferecer serviços que hoje são feitos presencialmente na palma da mão do piauiense, evitando que o cidadão se desloque de sua casa para algum órgão, reduzindo filas, desafogando o trânsito, contribuindo com o meio ambiente, economizando em material humano para esses atendimentos que poderão ser feitos por meio de celulares e aparelhos móveis”, finaliza Medeiros.


Fonte: Assessoria