Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Novo estudo reforça a tese de que cães podem farejar a Covid-19

Após uma semana de treinamento farejando amostras de saliva de mil voluntários, cães tiveram precisão de 94% ao detectar as que estavam contaminadas

Compartilhe

Mais um estudo, desta vez realizado na Alemanha, dá força à ideia de que cães podem ser treinados para "farejar" rapidamente pessoas infectadas com Covid-19.

Oito animais foram treinados pela Universidade de Medicina Veterinária de Hannover, pela Escola de Medicina de Hannover e pelas Forças Armadas Alemãs ao longo de uma semana. Os animais farejaram amostras de saliva de mais de mil pessoas, algumas infectadas com Covid-19, outras sadias. Ao final do treinamento, eles foram capazes de detectar as amostras com o vírus Sars-Cov-2 com 94% de precisão.

Cães já foram treinados com sucesso para detectar outras doenças, como câncer e diabetes. Os cientistas acreditam que eles farejam não o vírus em si, mas o odor de mudanças metabólicas causadas por ele no organismo do paciente.

"Nosso trabalho anterior demonstrou que os cães podem detectar odores de humanos infectados com a malária com precisão extremamente alta - acima dos padrões de diagnóstico da Organização Mundial de Saúde", diz o professor James Logan, chefe do Departamento de Controle de Doenças da London School of Hygiene and Tropical Medicine, que conduziu um estudo semelhante.

“Sabemos que outras doenças respiratórias, como o Covid-19, alteram o odor do corpo, por isso há uma chance muito alta de que os cães possam detectá-las. Essa nova ferramenta de diagnóstico pode revolucionar nossa resposta ao Covid-19 no curto prazo, particularmente nos próximos meses, e ser profundamente impactante”.

Segundo a Dra. Claire Guest, CEO e co-fundadora da Medical Detection Dogs, que trabalhou em conjunto com Logan, os cães não seriam usados para um diagnóstico oficial, mas sim em um processo de triagem. 

"O objetivo é que os cães possam analisar qualquer pessoa, incluindo aquelas que são assintomáticas, e nos informar se precisam ser testadas. Isso seria rápido, eficaz e não invasivo e garantirá que os limitados recursos de teste de nosso sistema de saúde sejam usados apenas onde forem realmente necessários”.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar