Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Teresina é a terceira capital do país que mais gasta com saúde

Dados são do Conselho Federal de Medicina.

Teresina foi a terceira capital do país que mais gastou recursos próprios com ações e serviços de saúde no ano de 2017. Na primeira e segunda posição ficaram as cidades de Campo Grande (MS) e São Paulo (SP), respectivamente. O gasto na capital piauiense custou aos cofres municipais R$ 590,71 por pessoa ao ano. Os dados são provenientes de pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Medicina.

O estudo revelou ainda que, considerando os repasses federais e estaduais, a capital piauiense aparece em 5º lugar como a capital que mais gasta com saúde pública. A Prefeitura gasta anualmente, de repasses federais, R$ 458,94 por pessoa e, de repasses estaduais, R$ 278,por pessoa ao ano. Ao total, juntando o fundo municipal aos repasses estaduais e federais, Teresina gasta anualmente R$ 1.327,80 por pessoa com saúde pública.

O presidente da FMS, Charles da Silveira, avalia os dados: “A pesquisa apresentada demonstra o compromisso de Teresina com os serviços e ações na área da saúde. E apesar dos excelentes resultados, nosso intuito é aperfeiçoar ainda mais o serviço de saúde. Para que possamos alcançar maior resolutividade, precisamos de um sistema que funcione de forma plena, integrada e universal, envolvendo também as políticas do Governo Federal e do Governo do Estado do Piauí”, afirma.

\"
(Crédito: ASCOM/FMS)

Ele relembra que Teresina concentra a maioria dos serviços de média e alta complexidade do Piauí e é referência em saúde na região Nordeste. “Nos últimos anos, foram fortalecidas as redes de atenção à saúde da capital. Em 2018, por exemplo, foram entregues 04 Unidades Básicas de Saúde e está em fase de finalização a construção da Unidade de Pronto Atendimento do bairro Satélite, que atenderá uma população estimada em 346 mil pessoas”, afirma.

A gerente do trabalho em saúde da FMS, Smithanny Barros, informa que a Atenção Básica da capital, considerada a porta de entrada preferencial do SUS, é resolutiva. “A cobertura da Estratégia de Saúde da Família em Teresina já cobre 100% da população, facilitando o acesso das pessoas aos serviços de saúde. Há também o acompanhamento sistemático dos pacientes com diabetes, hipertensão, tuberculose e hanseníase e, recentemente, implantamos 08 pólos de academia de saúde ”, afirma.

No atendimento pré-hospitalar, a FMS realizou melhorias no SAMU: o prédio está em reforma, foi renovada a frota de ambulâncias, expandida a frota de motolâncias, havendo também a estruturação dos pontos de apoio e, ainda, foram adquiridos rádios e repetidoras digitais para melhorar a comunicação entre os profissionais. O atendimento de qualidade rendeu ao órgão sua qualificação junto ao Ministério da Saúde por cumprir as normas vigentes.

A FMS também cita outro avanço na área da saúde: para atender as portarias ministeriais, as ambulâncias básicas do SAMU não realizam mais transferência inter-hospitalar de pacientes estáveis. Para tanto, foi montada uma central de transferências do município, que conta com seis ambulâncias específicas para este fim. Agora, o SAMU realiza ocorrências de ruas e transferência de pacientes graves.

 

 



Tópicos

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push
<