Vacina da febre amarela causa reações e prefeitura faz alerta em SP

Já o Ministério da Saúde afirma que a imunização é eficaz e segura.

Duas pessoas tiveram reação à vacina contra a febre amarela em Nova Odessa (SP), segundo a Secretaria Municipal da Saúde. Os pacientes apresentaram febre, dores de cabeça, no corpo e atrás dos olhos, além de diarreia após receberem o medicamento, de acordo com a pasta. O governo federal, no entanto, diz que a dose é segura.

Após o registro dos casos, a pasta iniciou um alerta à população sobre ao risco de reação grave. “A vacina contra a febre amarela pode causar desde uma reação sistêmica que vai de sintomas da doença até uma reação mais grave que pode, inclusive, levar o paciente à morte”, disse a coordenadora de Vigilância Epidemiológica do município, Paula Mestriner.

Ainda de acordo com a secretaria, o número de doses aplicadas aumentou 233% na cidade, já que semanalmente  a quantidade de pessoas vacinadas passou de 60 para 200, apesar de Nova Odessa não ser considerada uma área de risco.

O Ministério da Saúde afirmou, por meio de nota, que as vacinas contra a febre amarela são seguras e eficazes quando administradas de acordo com as normas do Programa Nacional de Imunizações. O governo federal disse ainda que a vacina é altamente imunogênica, bem tolerada e raramente associada a eventos adversos graves. No entanto, o comunicado diz que como qualquer imunobiológico, "tem contraindicações e precauções para sua administração".

Não podem tomar

O ministério afirma que a vacinação é contraindicada para crianças menores de 6 meses de idade e mulheres que estão amamentando bebês menores de 6 meses de idade. Pacientes portadores de alguma imunossupressão, seja congênita ou adquirida, gestantes e pessoas acima de 60 anos devem ser avaliados individualmente antes de serem vacinados. Pessoas com reação alérgica grave à proteína do ovo ou gelatina deverão também passar por avaliação médica, conforme o governo.

Fonte: Com informações do G1
logomarca do portal meionorte..com