Vídeo: Vice-diretor é acusado de humilhar estudante em Brasília

Professor reteve as sandálias de um menino de 12 anos

Na última segunda-feira (05), o vice-diretor de uma escola pública de Brasília foi detido por humilhar um estudante do 7º ano. A vítima tem 12 anos. O profissional pegou as sandálias do menino e o obrigou a voltar para a sala descalço. Jordenes Ferreira da Silva teria agido para punir a criança. Um vídeo do garoto escondendo o rosto na sala de aula caiu nas redes sociais e o perfil do profissional na rede social Facebook foi bombardeado de críticas.

A mãe do adolescente humilhado disse que ele ainda está com vergonha de ir para a escola, mas que está se sentindo melhor. Ela lamentou o caso e disse esperar que, após o desrespeito, casos semelhantes venham à tona.

“Eu estava em casa quando o conselho tutelar chegou com o meu filho, relatou o acontecido e me levou para a delegacia. Lá ele (o menino) contou que o vice-diretor tomou as sandálias dele e o fez ele andar descalço pelo corredor”, relatou a dona de casa.

Conselheiros tutelares encontraram o menino ainda descalço, na sala de aula e chorando (Crédito: Reprodução)
Conselheiros tutelares encontraram o menino ainda descalço, na sala de aula e chorando (Crédito: Reprodução)

Ainda segundo a mulher, o menino pediu as sandálias de volta, mas Jordenes não o atendeu.

“Ele vai com essa sandália de vez em quando. Ninguém nunca disse que era proibido. Fiquei com raiva do que aconteceu. A escola tem meu telefone, mas foi preciso um conselheiro vir aqui em casa para eu tomar conhecimento do ocorrido. Eu nunca tive reclamação do meu filho. Ele nunca repetiu de ano e tem boas notas”, desabafou.

Conselho tutelar

A denúncia chegou por meio de uma mensagem no celular de uma conselheira tutelar. Como havia dúvidas sobre a área de atuação, ela comunicou o fato ao conselheiro de outra unidade da cidade e, juntos, eles foram até a escola acompanhados de uma viatura da Polícia Militar. Lá, constataram que a denúncia era verdadeira. “Encontramos a criança chorando na sala de aula, descalço, com os pés encolhidos. Nossa primeira preocupação foi em consolar a criança”, relatou. 

O vice-diretor da instituição recebeu voz de prisão e foi encaminhado à delegacia para prestar esclarecimentos. “Vamos encaminhar o caso à Vara da Infância para que sejam tomadas as providências necessárias”, adiantou.

Depoimento

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e consta na ocorrência que a atitude do professor motivou que outros alunos rissem da vítima. Segundo os conselheiros tutelares disseram à polícia, quando chegaram na escola, o menino “estava na sala de aula com a cabeça sobre a carteira e chorando, ainda com os pés descalços, com alguns alunos ao seu redor olhando a cena”.

Na delegacia, o vice-diretor disse que problemas de disciplina são comuns em todas as escolas e que os alunos não gostam de receber advertência. Ele disse, ainda, que os alunos saíram para almoçar e que, na volta para a sala de aula, ele viu que o estudante chutava uma bola de papel e fita crepe “promovendo uma algazarra e instigando os demais”.

Jordenes disse ter percebido que o garoto estava descalço assim que o advertiu. Como, na versão do vice-diretor, o menino não parou de bagunçar, ele decidiu recolher os chinelos do estudante e recomendou que ele fosse à sua sala para que conversassem e ele devolvesse o calçado. Consta na ocorrência que “o aluno não quis ir até a direção pegar as sandálias e voltou para a sala de aula descalço”.

O aluno teria permanecido na aula até 15h30, quando os conselheiros chegaram na unidade. O professor declarou “que fez questão de frisar que nenhum aluno é impedido ou repreendido no âmbito da instituição com relação ao uso de sandálias ou similares.” O profissional também destacou à polícia que “o aluno foi abordado em virtude da indisciplina e não pela ausência ou tipo de calçado”.


Fonte: Com informações do Correio Braziliense
logomarca do portal meionorte..com